1 de fev de 2010 | By: @igorpensar

O Carisma é Comunitário

Por Igor Miguel

Deus é generoso. A expressão máxima de Sua generosidade está no carisma. Sim, na atuação divina em distribuir determinados poderes a determinadas pessoas. Por isso, na linguagem bíblica dom* e poder** aparecem em textos, como que associados. A dádiva é uma recurso divino, que de alguma forma, coopera para a singularidade de cada homem.

O dom é um talento, é a graça individualmente outorgada e exteriormente manifestada. O dom é para fora, o dom é para a comunidade. A comunidade é toda rede de pessoas que estão para além do eu, do indivíduo. A comunidade é o Tu, uma rede de Outros. O outro também tem um dom, portador de uma singularidade carismática.
Para que não haja divisão no corpo; pelo contrário, cooperem os membros, com igual cuidado, em favor uns dos outros. (I Co 12:25)
O dom é um tesouro, um quantum abençoador. Em sentido estrito, pode-se afirmar que o dom é individual, na medida que é concedida a um indivíduo, mas é comunitária, quando seu fim é o outro. O outro espera meu dom, a plenitude existencial do outro, depende do que me foi dado. A vocação é sempre pra fora, o carisma é comunitário.

A comunidade só existe, a medida que se constitui em uma rede carismática. Uma cadeia de interdependência vocacional. A potência do outro depende do meu dom e minha potência depende da generosidade do outro.
Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos. (I Co 12:14)
O homem de testículo quebrado (Lv 21:20) não pode oficiar no tabernáculo, pois é estéril, tem potência, mas não tem semente. Sua graça não se multiplica, sua vocação enterra-se em si. Seu talento não rendeu, foi sepultado em si mesmo. Pode-se contar quantas sementes há em uma maçã, mas nunca quantas maçãs há em uma semente.

No carisma há um potencial multiplicador, quando cerrado em si mesmo, impede que o outro seja enriquecido. Impede a reprodução da vitalidade. Instaura-se a morte!
"Ora, aquele que possuir recursos deste mundo e vir a seu irmão padecer necessidade e fechar-lhe o seu coração, como pode permanecer nele o amor de Deus?" (I Jo 3:17).
Fechar o coração é monopolizar a dádiva, é restringir a fluidez da rede de interdependência carismática. Em mim há a carência do dom do outro e o outro carece da minha abertura.

O dom não pode ser privatizado. O dom é responsabilidade, está em mim, mas não me pertence. Pertence à comunidade, é do outro. Não há nada mais perverso do que criptografar, registrar, submeter o dom ao copyright. O carisma não é meu é do outro, é opensource.

O carisma tem um fim, a edificação da comunidade, para melhoria do outro e para o bem do eu. A potência do outro está na renúncia ao orgulho e a potência do eu está na generosidade.
Porque a todo o que tem se lhe dará, e terá em abundância; mas ao que não tem, até o que tem lhe será tirado. (Mt 25:29).
____
*Em grego: χαρις - charis.
** Em grego: δυναμις - dynamis.

9 comentários:

Ana Cláudia Monteiro disse...

Mestre, que linda colocação!! O melhor de mim não é para mim, é para o outro... assim a "perfeição" de D'us se manifesta no Corpo do Messias, cada um operando em seu dom para a edificação do outro... Por isso o Eterno disse a Abraham: Sê uma bênção!! Hoje eu te digo, tu tens sido bênção de D'us nesta nação, nesta geração!! O Poder da Palavra de D'us tem operado através de ti... e eu creio que D'us ama aos que abençoa, mas se enche com o doce aroma daqueles que abençoam...
Agradeço ao Eterno por me permitir ser tua irmã, amiga e sem dúvida, compartilhar idéias... Isso é um dom que se manifesta através de ti... a sua maneira de adorar é peculiar... culto racional, que busca não o conhecimento sobre D'us, mas o conhecimento de D'us. Sua teologia é diferente! Impactante. Simples. Te admiro por isso!!
Cresça de degrau de glória, em degrau de glória... continue iluminando o caminho de muitos discípulos através do seu Carisma. Porque dEle, por Ele e para Ele são todas as coisas!!!
Um abraço!

Thaís Oliviera disse...

Linda mensagem. O dom que temos é uma transmissão vertical (de Deus para nós) para que possa ser usado em favor do próximo. O dom não é para mim... Esse texto mexeu comigo. Fiquei pensando... Tínhamos que ser caçadores; onde tem uma necessidade, se meu dom é a resposta, é pra lá que eu vou! Muitas vezes, a resposta de Deus às necessidades está mais perto do que se imagina.

@igorpensar disse...

Olá Ana, que bom que você gostou. Este post é fruto de um "sharing gift" com o missionário Fabrício da Escola Itinerante Coram Deo em Manhuaçu-MG e o Pr. Aender. Falávamos que o que temos deve ser compartilhado, seja informação, capacidades, talentos, este é o ideal.

Aluna Thais...

Vc pegou: é como a cruz, vertical e horizontal.

Wagner Pessoa disse...

Olá meu amigo...mais uma vez nos presenteando com um excelente texto. Minha reação diante dele foi: 1 me fez lembrar pq sou prof. voluntário de teologia, e o motivo pelo qual estou "sempre" te ligando..rss.. 2 ele vem como uma denuncia dos nossos dias onde os "ungidos", pensam q o dom é seu e para seu proveito, quer seja ele financeiro,no estátus e etc...

@igorpensar disse...

Wagner, vc é um exemplo de cristão preocupado com uma fé e teologia relevante. A ideia é esta, que sejamos uma fonte de carisma, que haja uma fluidez de dádivas, rios de águas vivas. O mundo precisa de crentes carismáticos, que caem na graça do povo, pois manifestam a potência de Deus.

@igorpensar disse...

*erro de concordância: Onde se lê relevante, lê-se relevantes.

Tiago Corrêa disse...

Quando nossa fé está madura, nós morremos, e ao fazê-lo, nos abrimos e "a" semente que nos salvou e edificou sai de nós agora multiplicada, como "sementes" que irão edificar, "alimentar" a fé de outros.

A família dos santos é composta de gente que se edifica mutuamente, de gente que alimenta o outro com o pão que Deus lhe deu.

Que encontremos nossas vocações, nos aperfeiçoemos em seu execício e rendamos muito para Deus e Seu precioso Reino!

o Senhor me edificou mais uma vez através do teu charisma, Igor!

Em Seu vínculo,

Tiago

Tiago Corrêa disse...

Quando nossa fé está madura, nós morremos, e ao fazê-lo, nos abrimos e "a" semente que nos salvou e edificou sai de nós agora multiplicada, como "sementes" que irão edificar, "alimentar" a fé de outros.

A família dos santos é composta de gente que se edifica mutuamente, de gente que alimenta o outro com o pão que Deus lhe deu.

Que encontremos nossas vocações, nos aperfeiçoemos em seu execício e rendamos muito para Deus e Seu precioso Reino!

o Senhor me edificou mais uma vez através do teu charisma, Igor!

Em Seu vínculo,

Tiago

@igorpensar disse...

Tiago, meu amigo... faltam-me palavras para descrever minha gratidão pelas incontaveis vezes que fui enriquecido por graças administradas por Deus em tua vida. Não seria nenhum exagero, dizer que muito do que sou hoje, depende organicamente de horas, dias e anos, desfrutando de graças que lhe foram confiadas.

nEle,
Igor