13 de out de 2011 | By: @igorpensar

Cristo é a Unidade

Por Igor Miguel

"O elo de ligação que une os membros do corpo, que une a a Igreja, não é Cristo!  Não é Cristo que une os ministérios, não é Cristo que garante a unidade da Igreja.  Cristo não é o elemento comum com o poder para unir a sua Igreja." (Matheus Z. Guimarães)*
* Trecho de ensino ministrado na Congregação Har Tzion no dia 27/08/2011. A frase foi afirmada a partir dos 22 minutos de fala. O vídeo, até a presente data e sem edições, pode ser acessado aqui. Não posso garantir que o vídeo seja retirado ou editado após a publicação deste artigo.  Nota em 14/10/2011: como previsto, o vídeo foi tirado do ar e substituído por um texto explicativo.  Por que será que tiraram o vídeo?
Desde que me ausentei do Ministério Ensinando de Sião, optei por não me referir a nada de natureza pessoal, não procurei me defender das alegações de rebeldia contra minha pessoa, coisas ligadas às sutilezas de ordem relacional interna etc, justamente para preservar as pessoas ligadas a este ministério.  Apesar dos apelos emocionais e o paternalismo patético dirigido a minha pessoa, reafirmo, que não estou disposto a colocar estas questões em pauta.  Por outro lado, como todos sabem, não sou pastor, nunca recebi uma ordenação, mas tenho uma vocação em Jesus Cristo, desde de minha juventude, que é o amor pela verdade.  E a verdade é Jesus Cristo, tudo mais é relativo a seu senhorio, qualquer coisa que for colocado no lugar dele, será inevitavelmente um ídolo.  Por este motivo, vejo-me no direito de me posicionar a respeito do que é teologicamente inapropriado, pois isto, envolve a saúde espiritual de muitas pessoas.  Estou disposto a manter a mesma postura, tratar questões de natureza teológica e doutrinária, quando necessário, baseado no meu direito de liberdade de expressão.  Reafirmo a retratação pública disponibilizada no último ano.

Entendo que há um problema de ênfase, uma troca explícita da centralidade de Jesus Cristo pela centralidade de outra coisa (judaísmo, Israel, marranismo, alyah, a Lei e por aí vai).   Isto me parece grave, exceto que tal comunidade não se julgue mais "cristocêntrica", ou que não se alegue comprometida com o Corpo de Cristo, do contrário, minha crítica é inútil.   Do contrário, minha posição teológica é legítima, e deve ser pública, como pública foram ditas as palavras acima.

A Igreja do Senhor Jesus sempre foi e sempre será identificada como "Corpo de Cristo", por um motivo simples: Cristo é o núcleo, causa e efeito, fundamento e pedra angular desta comunidade.  Se a Igreja é o Corpo de Cristo, isto significa que sua existência, continuidade e missão sustentam-se unicamente por causa de Jesus Cristo.

Há algumas semanas, chegou-me ao conhecimento o trecho do sermão acima.  Tive que checar pessoalmente tamanha discrepância com a doutrina apostólica.  E pude confirmar e afirmo sem qualquer constrangimento: há heresia.   

Quero lembrar, que uso o termo heresia exatamente como o apóstolo Pedro o faz: 
"Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição." (I Pe 2:1).
O termo heresia vem do grego airésis [αιρεσις] que pode ser traduzido por "dissensão", "facção" ou "opinião fora do consenso".   Sim, acredito, que a doutrina apostólica constitui-se sob o consenso da Igreja, que Cristo é o centro, a causa e o propósito de sua existência.  Qualquer leitura, mesmo que superficial dos textos de Jesus e de Paulo, levam qualquer pessoa interessada no evangelho, a conclusão básica, de que Cristo é nuclear e a Igreja constitui-se nele.  Uma discordância explícita ou velada a respeito disso, constitui-se em uma dissensão (airésis), ou seja, uma opinião que fere a unidade do Corpo que é Cristo.

Para o autor da frase acima, diferente do que largamente é ensinado no Novo Testamento, é Israel o propósito e a identidade que unirá o Corpo de Cristo.  O foco da referida mensagem é que a unidade da Igreja não se constitui em Jesus, mas em sua identidade em Israel.   Reafirmo, que isto é um tipo de idolatria.  Mesmo sabendo da importância bíblica e histórica do povo de Israel, sabemos, que mesmo este povo, só existiu e existe por causa de Jesus.  Ele é a plenitude de tudo que os profetas anunciaram e não o contrário.   Eu procuro explicar e dar todas as bases bíblicas a respeito da centralidade de Cristo e não de Israel, na constituição da Igreja, no artigo publicado em janeiro intitulado "Israel de Deus". 

Acho desnecessário citar as dezenas de textos bíblicos que afirmam que Cristo é o núcleo, a causa, o elemento comum, e que é Ele mesmo quem garante a unidade da Igreja. Entretanto, relembro alguns que me parecem centrais:
Eu lhes tenho transmitido a glória que me tens dado, para que sejam um, como nós o somos; eu neles, e tu em mim, a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade, para que o mundo conheça que tu me enviaste e os amaste, como também amaste a mim.  (Jo 17:22-23)
No texto acima, o próprio Jesus deixa claro que a unidade entre os discípulos é ele (Jesus) nos discípulos, como Ele Jesus está com o Pai em unidade.  Vale ainda lembrar as palavras do apóstolo Paulo que diz: 
Porque assim como num só corpo temos muitos membros, mas nem todos os membros têm a mesma função,  assim também nós, conquanto muitos, somos um só corpo em Cristo e membros uns dos outros. (Rm 12:4-5)
"Não pode haver judeu nem grego; nem escravo nem liberto; nem homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. " (Gl 3:28)
Permitam-me colocar o paralelo entre este texto de Paulo e do autor da frase acima:

".... não é Cristo que garante a unidade da Igreja.  Cristo não é o elemento comum com o poder para unir a sua Igreja..." (MZG)

"... conquanto muitos, somos um só corpo em Cristo e membros uns dos outros." & "... todos vós sois um em Cristo Jesus." (Apóstolo Paulo).

Me parece claro que há um oposição clara entre a afirmação ensinada pelo Matheus e o que o apóstolo Paulo ensina.  Se isto for, como me parece explícito, uma contradição à doutrina apostólica, isto não pode ser outra coisa se não um desvio doutrinário sério.  E se este é o ensino que tanto se esforçam por ensinar, posso lhes garantir, que o rumo é o afastamento consciente das pessoas da centralidade de Cristo.

Espero honestamente, que estas palavras sejam corrigidas, que o ensino bíblico e apostólico seja retomado.  Que Cristo volte a ser o centro da vida destas pessoas, e não apenas um acessório teológico para justificar o que lhes parece central.
"Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus,  edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular;  no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor,  no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito." (Ef. 2:19-22)
"Seja a paz de Cristo o árbitro em vosso coração, à qual, também, fostes chamados em um só corpo; e sede agradecidos." (Cl 3:15)
Pensem com calma o que Paulo considera ser o núcleo de sua identidade quando disse:
"Porque nós é que somos a circuncisão, nós que adoramos a Deus no Espírito, e nos gloriamos em Cristo Jesus, e não confiamos na carne.  Bem que eu poderia confiar também na carne. Se qualquer outro pensa que pode confiar na carne, eu ainda mais:  circuncidado ao oitavo dia, da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; quanto à lei, fariseu, quanto ao zelo, perseguidor da igreja; quanto à justiça que há na lei, irrepreensível.   Mas o que, para mim, era lucro, isto considerei perda por causa de Cristo.  Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; por amor do qual perdi todas as coisas e as considero como lixo, para ganhar a Cristo."  (Fp 3:3-8).
Orando para que a Igreja, mantenha-se como Corpo, edificada sobre Jesus, sempre.
____________

29 comentários:

Jorge Fernandes Isah disse...

Igor,

fico matutando: o que esse pregador pensa de Cristo? Não será o "cristo" dos espíritas, gnósticos, arianos, e até mesmo dos materialistas?

O problema dele é teológico e espiritual, de forma que não reconhecer em Cristo a unidade da Igreja, do Evangelho {AT e NT] e aquele pelo qual somos unidos ao Pai e ao Espírito Santo é um ato de rebeldia em último grau, de negação da verdade, e obstinação no engano.

Mas tudo isso se inicia quando não se reconhece a verdade do texto bíblico que, por diversas vezes, refere-se a Cristo como Senhor, Salvador, mas também como Deus encarnado. Não reconhecer a divindade de Cristo é certamente o maior de todos os problemas, e refletirá numa vida em prol da formação de ídolos, como você disse; e haja ídolos para se criar.

Um dos trechos que mais gosto da Escritura está em Mateus: "Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamá-lo-ão pelo nome de Emanuel, que traduzido é: Deus conosco" [Mt 1.23]. Ele nos traz o conforto e a certeza de que o Verbo encarnou-se está, e estará, perpetuamente conosco.

Portanto, aguardamos ansiosos "a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo" [Tt 2.13].

Parabéns pelo ótimo texto!

Grande abraço!

Cristo o abençoe!

Alexander Leão dos Reis disse...

A religiosidade aplicada incorretamnete às vezes cega o homem. Parabéns pelo artigo, afinal a síntese de cristo é que o homem fosse um nEle ou com Ele.

gabriel.outubro disse...

Bela texto Igor! A verdade explicita é inegável. Gostaria de destacar aqui, se me permite, que há uma intenção, hoje, de se resolver os problemas da igreja através de movimentos assim. Mas, quando lemos textos e assistimos vídeos dos mesmos, é perceptível ofensas aos cristãos, de hoje e do passado, como se "somente erros" houvesse caracterizado dois mil anos de história do Cristianismo.

Digo que há um esquecimento generalizado nesses movimentos de que:
- foi profetizado que haveria apostasia nos últimos tempos. A apostasia só pode ser no seio da igreja, o mundo não tem do que se apostatar. A apostasia então é algo inevitável na igreja. Portanto querem combater apostasia com apostasia.
- apontar erros e desunião no meio da igreja, como algo que não deveria acontecer, é não reconhecer a pecaminosidade da natureza humana. É não levar em conta que mesmo conhecendo Deus e seu Filho, somos capazes de errar e apostatar. Fica claro o por quê do Cristo Ressurreto advertir a igreja com as palavras "...ao que vencer".

Fica, no entanto a impressão, de que a igreja é uma farsa e que deveríamos correr para as sinagogas porque lá está a verdade e a perfeição.
Cristianismo é a única religião universal verdadeira. Judaísmo é uma religião local e cultural não expressa a Pessoa do Cristo Ressurreto, no qual existimos.

Abraço Igor. Estou contigo.

Fábio disse...

Estes pseudo-judeus, em crise de identidade, são uma piada de mal gosto. Um modismo que conseguiu a proeza de desagradar tanto os verdadeiros judeus como os cristãos. Mas bem, gostaria de deixar um texto para reflexão que nos ajuda a desmascarar estes judeulótras.

Quando Paulo teve um encontro com o Senhor, o mesmo disse: Saulo, Saulo pq ME PERSEGUES? Veja que Jesus não diz; "Saulo pq vc persegue meus discípulos?", mas pq ME PERSEGUES?

Quem tem ouvidos ouçam!

@igorpensar disse...

A resposta a este texto saiu em http://www.ensinandodesiao.org.br/index.php?option=com_content&task=view&id=218&Itemid=28

Muitos ditos que não dizem quase nada, porém, só vou tratar o final do texto, quando o Matheus diz:

"volto a afirmar que apenas a CRENÇA em Cristo não garantia a UNIÃO da comunidade dos Santos. Cristo era a BASE, o ponto de APOIO, a pedra angular, mas o que mantinha a estrutura unida era a DOUTRINA, o FUNDAMENTO. Ou seja, o ELO de LIGAÇÃO entre os membros do corpo era a DOUTIRNA DOS APÓSTOLOS."

Não Matheus, não foi isso que você afirmou, você não disse que "apenas a CRENÇA em Cristo não garantia a UNIÃO da comunidade dos Santos" você disse claramente que "O elo de ligação que une os membros do corpo, que une a a Igreja, não é Cristo! Não é Cristo que une os ministérios, não é Cristo que garante a unidade da Igreja. Cristo não é o elemento comum com o poder para unir a sua Igreja."

Isso foi o que você disse, pare de fazer ginástica e enrolar as pessoas teologicamente, isto é erro doutrinário grave. Sinto muito, mas minha denúncia está de pé.

Igor

maurilio disse...

Isto se tornou embate pessoal, fui chamado atenção por minha esposa, com relação ao texto, "pura heresia", sim texto herético; apesar de estar longe, não tenho "seguido" nenhum dos dois, tomei o cuidado de analisar repetidamente e na integra os discursos, numa posição de neutralidade, não tendenciosa, sem fazer juízo, verdadeiramente não encontrei tamanha heresia dentro do contexto da pregação.
Está faltando algo básico entre as partes, O PERDÃO.
Shalom, Maurílio.

@igorpensar disse...

Maurílio,

Você não é leigo, compreendes com clareza sentenças de nossa língua vernácula com agudez. Então sejamos francos, suspenda juízos de valor, opiniões afetivas, especulações relacionais, passionalidade e por aí vai. E demos um tratamento objetivo e franco, somente você e a verdade. Diga-me por favor, que outra interpretação podes dar a esta sentença?

"O elo de ligação que une os membros do corpo, que une a a Igreja, não é Cristo! Não é Cristo que une os ministérios, não é Cristo que garante a unidade da Igreja. Cristo não é o elemento comum com o poder para unir a sua Igreja."

Não há outro sentido, não há outra explicação, a afirmação é gravíssima, digna de boa apologética bíblica. Qualquer pessoa que relativize ou concorde com este texto, jogou Cristo e a doutrina paulina na descarga e já está prestes a sucumbir diante de um ídolo, menos do senhorio de Jesus.

Concordas?

Abraços,
Igor

@igorpensar disse...

Como previsto, o vídeo foi tirado do ar: http://www.ensinandodesiao.org.br/tvsiao/youtube/parashiot_2011/27_08_11.html

Abraços,
Igor

Erike Couto disse...

Quem não deve, não teme. Infelizmente, eles devem, e muito. Não a ninguém, mas à própria graça de Cristo. Essa aberração em forma de discurso - religioso, amigável e inteligente - na verdade é uma afronta a tudo que Deus fez em Cristo por nós, uma teologia da substituição, mas às avessas. Que eles se convertam realmente ao Senhor e transformem esse discurso cheio de retórica em um discurso cheio da gratidão ao Amor Salvífico, Mantenedor e Glorioso de Deus.

Abração Igor. Árduo e duro é dar o rosto a tapas por amor a essa mensagem simples do Reino. Estamos juntos.

maurilio disse...

Concordar com vc não passa pelo fato simplista de tomar uma posição em favor de Cristo, isso é ponto básico e inquestionável da nossa fé, o que me entristece é ver essa contraposição de forças, me parece mais uma queda de braços, do que um discurso de defesa doutrinária. Ainda pouco recebi o email de um irmaozinho com tom agudo e rancoroso.
Eu bem sei o que CRISTO fez e continua fazendo em minha vida.
Shalom e abraços,
No amor do Eterno,
Maurílio.

@igorpensar disse...

Maurílio,

Que bom que sabes o lugar de Cristo em sua fé. Mas, deves considerar que a relativização da centralidade de Cristo é fundamentalmente perigoso, se o é, se há passionalidade ou não, tudo se torna irrelevante ante a veracidade da crítica. Concordas?

Abraços,
Igor

maurilio disse...

Concordar: sim e não. Sim quanto à centralidade de Cristo em nossas vidas e fé, não quando o debate da veracidade da crítica não promove o Reino.
Abraços,
Maurílio.

@igorpensar disse...

Então estamos caminhando Maurílio,

Veja bem, a alegação de "amargura" e "ressentimento" é secundária, não há evidências para tal alegação quanto a minha pessoa, concorda? Exceto nas especulações, claro que nem adianta dizer que não tenho tais sentimentos, afinal não podem ser medidos nem por você, nem por ninguém, exceto por mim. Se toda vez que me posicionar apologeticamente contra desvios doutrinários for tratado como alguém "sentimentalmente afetado" não poderei mais fazer teologia. Sinto muito, mas a bandeira permanecerá de pé por Cristo neste sentido.

Por outro lado, concordas que a apologética (defesa da fé) é uma ordenança bíblica, certo?

Paulo resistiu a hipocrisia de Pedro cara-a-cara, vejamos: "Chegando Pedro a Antioquia, resiste-lhe na cara, porque era repreensível." (Gl 2:11).

A carta de Paulo aos gálatas é um exemplo clássico de defesa aberta do apóstolo a pessoas que relativizavam a fé em Cristo.

Não há pecado no posicionamento público contra determinados desvios doutrinários, ainda mais desta natureza. Pelo contrário, pecado haveria na omissão, no silencio e na indiferença teológica.

Observe outro detalhe, veja de forma imparcial, método que já adotastes. Observe que meu texto é de cunho puramente doutrinário e teológico, dou os texto bíblicos. Enquanto lá a alegação é sempre passional "ingratidão", "rebeldia" e por aí vai. Em nenhum momento você me viu me posicionando quanto a tais alegações, por um motivo simples, eles são posicionamentos e alegações de quem não tem ou não quer argumentar. Sinto muito, mas se alguma coisa aprendi com judeus, é a arte da discussão, sem apelações pessoais.

Deu para entender?
Igor

valle disse...

Olá Igor! Boa tarde!

O vídeo foi retirado, porque suas mentiras foram desmascaradas, foi exatamente isso. E ainda tiveram a ousadia de colocar a seguinte explicação:

"DEVIDO AO GRANDE NÚMERO DE ACESSOS, ESSE ESTUDO DEU ORIGEM AO ARTIGO: "O ELO DE LIGAÇÃO", O QUAL É MAIS ABRANGENTE E EXPLORA MAIORES DETALHES SOBRE O ASSUNTO". [http://www.ensinandodesiao.org.br/tvsiao/youtube/ministracao.html].

Esta frase é a "mea culpa" assinada pelo Sr. Matheus Z. Guimarães, que diante dos argumentos expostos por você, sentiu-se em um labirinto sem saída. Correr foi a melhor solução!

Este é o grande problema dos caros judeus messiânicos, digo por experiencia. Se fixam tanto na TORÁ [que na prática deles não passam de regulamentos rabínicos, não há nada de Mosaico em suas práticas a meu ver] e se esquecem do TELOS NOMOU, Cristo (Rom. 10:4).

CRISTO, como você colocou sabiamente deve ser "o núcleo, causa e efeito, fundamento e pedra angular desta comunidade".

Mas a comunidade judaico-messiânica entende sua centralidade nos preceitos da Lei, pois sem Lei, até Cristo não teria existido! (palavras que me disse um judeu-messiânico, em uma de nossas conversas).

Deixo claro, que entendo o propósito do povo de Israel e suas leis, mas daí a subordinar a existência do Filho de Deus a Elas, soa por demais absurdo e "herético". Concordamos que o artigo ensina uma heresia.

Saudações, Em Cristo...

MARCELO VALLE

maurilio disse...

Isso não é gente de Cristo, mto me entristece, mais pode ser que pra alguns não tenha valor certas opiniões.

edivaldo disse...

Igor,
Desculpe-me a sinceridade, mas seu blog está ficando uma coisa delicada de se ver; uma espécie de passarela onde um expõe quase todo seu conhecimento acadêmico, numa suposta defesa doutrinária, e outros fazem elogios. Igor, cuidado! Uma crítica, dependendo de como ela seja colocada, pode ser melhor pra nós do que um elogio. Os elogios, muitas vezes, funcionam como uma espécie de “presente ou suborno”... e o suborno cega os que têm vista, e perverte as palavras dos justos - Êxodo 23:8.
A pessoa que elogia, muitas vezes, tem o intuito de ganhar a simpatia de alguém que, por algum motivo ou circunstância, admira. O que elogia não se preocupa com a possibilidade de está inflando o ego do elogiado, ela apenas quer ser simpática e ganhar simpatia. Cuidado, isso pode ser uma armadilha; acho que você está a um passo de cair nela e uma vez que só permite publicar os comentários que passem pelo seu crivo esse perigo aumenta, conforme diz a seguinte mensagem: A moderação de comentários foi ativada. Todos os comentários devem ser aprovados pelo autor do blog.
Sem a direção do Espírito Santo, o excesso de conhecimento pode formar “nós” na mente humana difíceis de desatar. O conhecimento sem o Espírito Santo chegou a ser comparado ao esterco por um autor bíblico; não estou dizendo que este seja o seu caso, mas se não mudar de atitude poderá caminhar nessa direção. Você, sem perceber, está buscando mais dividir do que harmonizar o Reino de Deus. Se sua intenção é somente defender uma doutrina limpa e pura por que não vai combater enganos destrutivos de falsas correntes ditas cristãs que existe no nosso país que não preciso nem citar nomes? Ao invés disso você fica atacando ministérios que, quem conhece de perto, sabe que trabalham com honestidade e temor. Mas é assim mesmo, só se atira pedra em mangueira que produz mangas. Leia mais uma vez Provérbios 6:19b. Você quer ser enquadrado nele? Se não quer então entenda que já é hora de parar com essa bobagem, que ao invés de fazer crescer só causa danos ao corpo de Cristo, o qual você afirma defender.
Igor, se você continuar com essa postura ficará bem claro que está querendo quebrar o prato em que comeu ao invés de somente cuspir. Erros, todo nós cometemos, mas quem se apega aos erros dos outros para publicar, citando nomes, esquecendo totalmente da ética, já não é mais um apologista ou crítico e sim um inimigo. Um verdadeiro professor combate um ensino errado ensinado o que é certo aos seus alunos, para que eles aprendam a separar uma coisa da outra e, para isso, não é necessário envergonhar o professor que errou. Isso sim é ética.
Para evidenciar que é serva de Cristo, uma pessoa precisa mostrar os frutos, pois são eles que mostram quem a árvore verdadeiramente é, palavras apenas é insuficiente. Qualquer pessoa que ler seu artigo “CRISTO É A UNIDADE” de modo imparcial e espiritualmente atento, nota certa ausência daquilo que a Bíblia chama de “frutos do Espírito”. Este artigo, embora fale de unidade, tem muito mais poder de gerar desunião, rancor, mágoa, enfim, tudo que é oposto à unidade do que a própria unidade que propõe. Eu também não concordo com um monte de coisas que ouço de pregadores por aí, mas isso não me dá o direito de vir para a internet falar deles e chamá-los de hereges. Você precisa mostrar para os seus leitores um blog que produza amor e edificação do corpo de Cristo e não um Hamás espiritual.
Sei que existe grande possibilidade de você não publicar esse meu comentário em seu blog e, se publicar, certamente usará um pouco da sua grande capacidade intelectual e acadêmica (sei que você tem, ninguém pode negar) para combater o que digo, mas, se você pelo menos parar prá pensar um pouco e ver que está indo longe demais, já estaria de bom tamanho.

Edivaldo
Salvador – Ba.

@igorpensar disse...

Edivaldo,

Eu publico todos os comentários. Absolutamente todos, só não público textos de baixo calão.

Edivaldo, eu concordo com seu e-mail quanto a sua honestidade. Mas, discordo de suas especulações e hipóteses.

Você está absolutamente errado, você não sabe 0.001% do conto do vigário.

Então, meu nego a responder seu comentário, mas fica aí registrado, para sua satisfação.

Abraços,
Igor

maurilio disse...

Meu breve comentário anterior foi com relação à fala do do Marcelo Vale. Comentário faccioso, Espírito de Jezabel. Essa não é a Verdadeira Igreja do Cristo Ressurreto.
Que o Eterno tenha misericórdia de nós, que não nos ache em tamanha abominação.
Paz seja com todos.
Maurilio.

deborafestas disse...

Igor,

Este vídeo pode ser visto no endereço.

http://www.youtube.com/watch?v=RKbYSqzF1XI

estrella pinho disse...

Igor,

Este video pode ser visto no endereço.

http://www.youtube.com/watch?v=RKbYSqzF1XI

Leo disse...

Isso aí professor, SOLUS CHRISTUS!

Retendo firme a fiel palavra, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para admoestar com a sã doutrina, como para convencer os contradizentes.
Tito 1:9

Convençamos os contradizentes pela poderosa doutrina do Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo! Passo a mesma luta em minha cidade e congregação incluso a perda de amigos, que se utilizam até palavras sórdidas para agredir! Lutemos pela verdade, Lutero disse "Paz se possível, Verdade a qualquer custo!", o Deus de Paz seja conosco professor!

@igorpensar disse...

Maurílio,

Observe que todos os comentários que foram feitos aqui, os melhores, orbitaram nos argumentos teológicos envolvidos na afirmação acima. Que não dá para ser resignificada, por isso o vídeo foi removido, pois nem o contexto dele dá pra salvá-lo. Agora observe com atenção.

Não acho que espiritualizações, "Espírito de Jezabel", alegações de "rancor", "passionalidade", "especulações" (como fez o Edvaldo), e tals, resolva. O que foi levantado aqui foi uma crítica teológica e ela deve ser tratada no mesmo critério. O que me preocupa é que os tratamentos acima, são um tanto imaturos, desculpe-me pela honestidade. Por que até agora ninguém deu os argumentos para justificar a frase?

Pois preferem a passionalidade do que uma boa discussão e reflexão teológica. Preferem brincar de "poker espiritual" do que escrutinar a verdade. E observe, a frase é GRAVÍSSIMA, toca no fundamento do evangelho e ninguém se escandaliza com isso. No mínimo, devo considerar que estas pessoas já relativizaram Cristo há muito tempo, ou não perderam o discernimento para mensurar a grandeza da obra de Jesus.

Pense gente... este é o nome do blog.

Igor

valle disse...

Igor,

Pessoas como o Maurílio, infelizmente ainda não definiram sua posição em Cristo, não sabem afinal de que lado ficar e por isso acabam "atacando" quem definiu seu lado e defende sua fé.

Gostaria de perguntá-lo afinal, que "igreja de Cristo" ele supõe pertencer, quando diz que "Essa não é a Verdadeira Igreja do Cristo Ressurreto"?

Quando fiz minha afirmação a respeito dos judeus messiânicos, o fiz baseado em minha própria experiencia. Vivi um bom tempo junto a Eles e absolutamente sei do que estou falando, humildemente. Não pretendo aqui ser juiz de ninguém.

As doutrinas JM estão respaldadas unica e exclusivamente nas regras rabinicas, amalgamadas com o Tanach e quando querem, com o Novo Testamento (Brit hadasha).

Veja um ouro video do Matheus (http://www.youtube.com/watch?v=L3jamNKqwlg), onde é claramente perceptível o desprezo que o pregador tem pela Igreja. Eles denominam de pagãs tudo que se refere a Igreja, mas se esquecem que nem todas as igrejas praticam o que ele afirma no video.

O mal do JM é achar que são exclusivos e desprezam tudo que não reza segundo a cartilha deles.

Maurílio, se o blog está te incomodando com as reflexões, é fácil resolver, não acesse mais e assim você resolverá seu problema.

Que Deus ilumine teus caminhos.

MARCELO VALLE

@igorpensar disse...

Marcelo,

Obrigado por seu comentário. Mas, terei que dar uma moderada. :-)

O Maurílio é um bom cristão, o conheço. Sei de seu amor pela verdade e por Jesus. O que temo é seu encantamento pelo restauracionismo. A crise da Igreja sempre foi e sempre será diretamente proporcional a falta de uma compreensão e vivência de Cristo e do evangelho.

Não vejo nenhum problema se por questões pedagógicas, a Igreja celebra uma ceia como na época de Jesus. Isto é uma coisa, agora dizer que a Igreja será restaurada se fizer isto ou se reassumir uma identidade judaica é outra completamente diferente.

A Igreja sucumbe sempre que relativiza Cristo. Se a Igreja está em crise, é simples, é porque Cristo foi relativizado por alguma coisa. O poder, o dinheiro, a compensação, o judaísmo, o triunfalismo, a teologia da prosperidade e por aí vai. Simples assim! A objeção: "Todo mundo fala de Cristo, mas ninguém combina com ninguém." é logicamente inconsistente, todo mundo sabe que a simples afirmação de Cristo não significa, o reconhecimento de Cristo em sua plena dignidade como Deus e Senhor. Isto tem implicações práticas sérias.

Vemos um clima em círculos restauracionistas de desconfiança a tudo que é produzido por cristãos, ao invés de um diálogo maduro e acolhedor.

Por outro lado, as fontes judaicas, a língua hebraica, a tradição interpretativa dos judeus é fundamental para entender uma série de questões no Novo Testamento e na doutrina apostólica. Eu louvo a Deus, pois todos os dias, tenho visto grandes autores cristãos (anglicanos, reformados, metodistas etc), que sabem muito mais destas fontes do que muito "rabino" messiânico por aí. E nem por isso, querem se tornar judeus, ou absorverem um estilo de vida judaica. Pois, sabem que Deus os acolheu em sua identidade comunitária, em sua confessionalidade, como gentios.

Judaísmo-messiânico sério pra mim, seria aquele que tem critérios claros de "quem é judeu" (pois agora todo mundo se acha judeu, sem qualquer tipo de registro ou prova de ancestralidade reconhecido pela comunidade judaica), que reconhece a legitimidade histórica do cristianismo e que não quer impor ou estimular práticas judaicas como solução para os dilemas eclesiológicos do cristianismo.

O problema é que isto quase não existe no Brasil, só conheço 3 judeus com memória histórica de verdade neste pais que propõe judaísmo-messiânico nestes termos, outros nem tanto, mas estão sob tensão ou marginalização política.

O problema é que a associação judaísmo-messiânico e restauracionismo está queimando o judaísmo-messiânico em sua legitimidade e o cristianismo.

Uma pena...

Igor

valle disse...

Obrigado Igor,

Concordo com você. Apenas mencionei o Maurílio por Ele ter dito que minhas palavras visaram a divisão. Absolutamente. E não tenho nada contra Ele, desejo que Ele compreenda afinal o problema e tome uma posição....

Isto tudo é fruto de uma simples questão: Cristo deve sempre ser o centro de nossas vidas (JM e Igreja Cristã). Ou Cristo é tudo ou é nada. Não dá pra ficar no meio termo, concorda?

O que eu não gosto é ver os JM acharem que para se chegar à Cristo, precisam seguir aquelas regras rabinicas e daí pensam que ninguém que segue as mesmas regras são hereges...isto é que discordo.....

Mas continuemos na luta

Deus abençoe a todos

MARCELO VALLE

maurilio disse...

Amados, shalom, não sou JM, sou Metodista convicto e de boas tradições. Creio em Deus Pai todo poderoso, criador do céu e da terra.
Creio em Jesus Cristo seu único filho ..., Creio no Espírito Santo; Creio Santa Igreja Universal ... Credo Apostólico. Já muito abençoado por alguns JMs, não desprezo isso de forma alguma, fui à eles apresentado por meu irmão Marcos Apolonio, hj na Igreja Esperança e a ele sou mto grato. O Igor como meu professor e mestre tem participação especial em minha vida ministerial e pessoal, ainda que ele não tenha conhecimento disso, por seus ensinamentos iluminados fui capaz de discernir e tomar decisões acertadas em minha vida e carreira profissional, jamais desprezarei isto, mesmo sem a proximidade física e intimidade dos Santos, o verdadeiro amor e a gratidão deste servo jamais se apagarão. "Já não sou eu quem vivo, mais CRISTO vive em mim".
Paz seja convosco.
Abraços,
Maurílio.

@igorpensar disse...

Louvado seja o Senhor!

Maurílio é por este Cristo afirmado por um longo testemunho que remonta os patriarcas, Moisés, os profetas judeus, os reis de Israel e os apóstolos, que nos ligamos em comunidade e nEle (Jesus) que encontramos alimento e vida para nossos ossos. Que tudo mais se curve diante de Cristo, nada pode ser equivalente a grande obra que Deus realizou em seu Filho, o Messias, o Verbo de Deus, que se fez carne.

Glória a Deus!

Em paz, no Shalom de Cristo.

Obrigado meu mano.

Igor

gabriel.outubro disse...

Olá Igor.
Fui um dos que fiz comentários mais por desabafo do que por uma postura apologética e teológica, fugindo completamente do tema principal, que é Cristo. Peço desculpas, e afirmo que sua defesa da Pessoa e Autoridade de Cristo é verdadeira, legítima e bíblica.
Deus abençoe vc e todos os apreciadores do blog.

@igorpensar disse...

Obrigado Gabriel,

Sempre nEle!

Igor