29 de set de 2010 | By: @igorpensar

Retratação Pública

A quem possa interessar, abaixo disponibilizo minha retratação pública ao Corpo de Cristo - a Igreja - a respeito de minha saída e de alguns irmãos do chamado "Ministério Ensinando de Sião". É uma retratação a respeito de alguns pontos teológicos que ensinei, endossei ou concordei, não somente eu, mas um grupo de irmãos, que também assinam o documento. Nós, após alguma leitura e oração, sob graça do Espírito Santo, fomos iluminados com os ajustes necessários.

Que Cristo tenha misericórdia de nós.


nEle,
Igor Miguel
28 de set de 2010 | By: @igorpensar

Sublimidade

"Quanto ao zelo, perseguidor da igreja; quanto à justiça que há na lei, irrepreensível. Mas o que, para mim, era lucro, isto considerei perda por causa de Cristo. Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; por amor do qual perdi todas as coisas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo." (Fp 3:6-8).
25 de set de 2010 | By: @igorpensar

Sobre Quando Nasci

Por Igor Miguel

Deixe-me dar um pequeno testemunho. Aos meus 17 anos fui surpreendido com Cristo, mesmo tendo crescido em um lar relativamente cristão, eu era uma fanfarrão, como já me chamaram por aqui. Eu era como os da minha idade, um jovem perdido e achando que a vida não passava de superficialidade, imediatismo e inconsequência. E pior, já estava parando de pensar no hoje, o que dirá no amanhã.

Por uma articulação misteriosa, por uma ação divina sem proporções, acima de toda lógica, cálculo, ou racionalizações, fui conduzido a perceber uma música tão harmônica e tão feliz, que não seria possível ater-se muito tempo nela, sem cair-se em prantos em um misto de profundo arrependimento e alegria. O mais assustador, é que aquela música sempre esteve ali. Como um código oculto que depois de descriptografado trás uma mensagem capaz de estourar uma outra guerra mundial.

Imagine, eu jovem, aos meus 17 anos, sob o impacto de uma verdade absurdamente real, mas igualmente absurdamente supra-racional, acima de qualquer lógica humana, tentar traduzir o intraduzível para as pessoas.

Na ocasião, como hoje, sentia-me aquecido e tomado pela vontade de apenas anunciar a supremacia, a riqueza, a grandeza e a extensão daquela música misteriosa.

Foi lá, em uma oração, em um montanha em Cabo Frio, que descobri a diferença entre um homem que olha pra cruz e diz: "-- Coitado daquele cara. Que pena, bateram tanto nele..." e o outro homem "-- Quem deveria estar lá era eu, mas foi em meu lugar. Seguirei e viverei tudo que este homem significa".

Pois é, meu caso é o segundo, e surpreenda-se, não quis segui-lo da forma que a maioria dos cristãos fazia em minha época, quis conhecê-lo, quis entender sua língua, sua cultura, seu jeito, seu povo, sua gente, experimentei isto, até quase me perder nesta compreensão e de repente fui emergido, erguido.

Surgi dentre os cacos de minha autonomia religiosa, sob prantos e gritos de alegria, ao descobrir o misterioso amor, intraduzível amor, que um dia me chamou pelo nome e disse: " -- Você é meu."

Soli Deo Glória.
24 de set de 2010 | By: @igorpensar

Mês da Reforma Protestante


IGREJA ESPERANÇA – MÊS DA REFORMA PROTESTANTE

Os Cinco ‘Solas’ do Cristianismo

O mundo contemporâneo trouxe uma crise para o cristianismo. Muitas pessoas deixam as igrejas cristãs, cansados ou com medo, e optam por uma vida de secularismo, ou por uma espiritualidade sem vínculos religiosos. Muitos dizem que a igreja complica as coisas.

Mas essa crise também parece ser uma oportunidade. Pois muitas pessoas estão redescobrindo o poder e a simplicidade do evangelho cristão, como aconteceu há mais de quinhentos anos na Reforma Protestante.

Sola Gratia, Sola Fide, Solo Christus, Sola Scriptura, Soli Deo Gloria: os cinco ‘somentes’ do Cristianismo. É tempo de redescobrir a simplicidade da Fé Cristã; é tempo de vivenciar o poder transformador do Evangelho.


PROGRAMA

Aos Domingos, 18h, na Igreja Esperança (Entrada Franca)

Av. Pedro II, 2744 - Caiçara - Belo Horizonte
Informações: 2532-8962

03/10 – Sola Gratia (Somente a Graça): Igor Miguel

10/10 – Sola Fide (Somente a Fé): Guilherme de Carvalho

17/10 – Solo Christus (Somente Cristo): Rodolfo Amorim

24/10 – Sola Scriptura (Somente a Escritura): Igor Miguel

30/10 - Filme: Lutero

31/10 – Soli Deo Gloriae (A Deus somente a Glória): Guilherme de Carvalho

23 de set de 2010 | By: @igorpensar

A Igreja Precisa de Homens

Esta aí um vídeo, simples, objetivo e impressionante, pois nos desafia a entender as implicações de sermos homens com "H" maiúsculo, o que significa uma ruptura com esta "adolescência expandida" e admitirmos nossa missão com Cristo de tornar seu nome conhecido. Que Deus nos conceda graça e poder no Espírito Santo, para darmos continuidade a uma obra que precisa de homens honestos, quebrantados, que amam suas esposas e vivam o evangelho em todas as suas implicações.

Darrin Patrick é pastor da The Journey Church em St. Lois - EUA.


21 de set de 2010 | By: @igorpensar

Meteoro

Deus desceu ao mundo como um meteoro.
Explodiu em sofrimento sobre a cruz.
O barulho foi tão estrondoso, tão terrível,
que os reis tiveram seus tronos abalados.
Eles ficaram tão surdos que não perceberam os exércitos chegando.
Vinham aos montes, não estavam montados a cavalos,
mas seguravam espadas de dois gumes:
o terrível e poderoso decreto divino.

O pacto com o homem de Ur se cumpriria, a notícia se espalharia,
as famílias mais remotas chegariam ao Anjo do Senhor.
E como o velho patriarca, o convidaria a sentar-se debaixo da tamareira.
De lá destilaria mel silvestre que insistia em ficar nos lábios do profeta.
Arrancaram-lhe a cabeça, por anunciar o escandaloso Ungido.

_________
Por Igor Miguel
17 de set de 2010 | By: @igorpensar

Há futuro para o evangelicalismo?

Prezados leitores,

Gostaria de indicar o artigo do Guilherme de Carvalho, pastor da Igreja Esperança e diretor fundador do L'Abri Brasil, que acabou de ser publicado pela revista Ultimato, cujo título é: Há Futuro para o Movimento Evangélico?

Como muitos, eu já passei por várias crises com o evangelicalismo e recentemente com movimentos restauracionistas. Descobri que não é negando o evangelicalismo que chegaremos a uma solução para a crise, mas retornando a seus fundamentos históricos e reafirmando sua pedra fundamental: o evangelho. Devo isto ao grande teólogo Kevin J. Vanhoozer que me fez ver o movimento evangélico novamente com bons olhos. Graças a Deus... voltei à ortodoxia cristã e seus fundamentos clássicos: a trindade, a centralidade de Cristo, salvação absolutamente pela graça, a importâncias dos meios de graça, os sacramentos (ceia e batismo) a Igreja como pleroma de Jesus e aí vai...

Então pergunto: Será que a solução é a negação? Será que temos sempre que inaugurar um novo movimento toda vez que o anterior, aparentemente, fracassou? Em réplica ao artigo recentemente publicado pela revista Época sobre os "novos evangélicos", Guilherme Carvalho propõe que a resposta à crise evangélica é mais complexa, e envolve não um "neo-evangelicalismo" em si, mas a afirmação dos fundamentos clássicos desta fé evangélica.

Uma das soluções, seria o engajamento cristão a partir de uma sólida tradição teológica que dê sentido à espiritualidade, principalmente em tempos em que a doutrina se torna periférica, por causa do infernal e insuportável pragmatismo religioso. Sem mencionar, o relativismo liberal persistente em movimentos chamados "emergentes".

Enfim, leiam o artigo Há futuro para o movimento evangélico? e desfrutem de uma excelente reflexão, para mim, o melhor posicionamento a respeito do que a Revista Época publicou.


14 de set de 2010 | By: @igorpensar

Arte em Foco - MG






É com muita alegria que anunciamos o evento artístico do ano!!
ARTE EM FOCO está chegando a Minas! 05 a 07 de Novembro/2010
Marque em sua agenda e comece a divulgar!
Local: Teatro Municipal de Sabará (antiga Casa da Ópera)

10 de set de 2010 | By: @igorpensar

Orientação Política

Pessoal, estamos caminhando para as eleições. Há muito ruído e barulho. Cristãos se sentem gradativamente convocados para se envolverem politicamente. Alguns o fazem de forma ingênua, me assusto com candidatos cristãos, que entendem de politicagem, mas muito pouco de uma percepção política que parta de pressupostos realmente cristãos. As vezes o que se tem por aí é um reprodução do discurso marxista ou liberal, ambas, ideologias idólatras, por motivos já postados por aqui. Então, indico abaixo alguns textos já postados por mim e alguns postados pelo Pr. Guilherme Carvalho a respeito da percepção cristã sobre a política:
Abraços e vamos pensando...
6 de set de 2010 | By: @igorpensar

Mano Véio

Por Igor Miguel

Legenda:
E: Evangelista
J: Jovem Pós-Moderno


E: - Qual é maluco? Tudo bem?
J: - Qual é! Só...
E: - Mano. Tenho uma coisa punk pra te falar. Cê tá ligado?
J: - Só véio. Pode mandar ver!
E: - Véi. Você já se ligou sobre o sentido de sua vida cara? Por que você faz o que faz?
J: - Ah... sei lá! Porque é uma curtição... É bom curtir a galera. Pegar umas menininhas. Sacou?
E: - Saquei. Mas... "é bom" em que sentido? Como assim, "bom".
J: - Cara, é bom véio. Fala que você não acha bom?
E: - Mas e aí? Você se sente realmente legal com isso? Você não acha que tem um lance além disso?
J: - Cara, sei lá. Só sei que é bom curtir.
E: - Beleza cara. Você já imaginou perguntar para um canário em uma gaiola o que ele acha de sua vida? Vamos chutar. O que você acha que ele responderia se pudesse?
J: - Sei lá. Tipo... Me tira daqui!!!
E: - Cara, eu acho que não. Acho que o canário diria algo como: - Cara isto aqui é a maior curtição. É muito bom ficar aqui. Tem comida toda hora, água fresca, tem até uns poleirinhos que fico pulando de um lado e pro outro. Eu canto, sinto o vento as vezes, vejo outros caras cantando lá fora. Mas, eu curto. Tá bom aqui. É legal.
J: - Pô véio! Que canário burro! Tem mó ar livre lá fora, ele pode curtir a vida, voar pelo mundo todo. Achar comida por aí numa boa.
E: - Pois é meu véio. O que achamos que é liberdade, nem sempre é liberdade. Ficamos tão distraídos com "poleiros", "comida" e "água", que esquecemos que estamos em uma gaiola, e achamos isto é a maior curtição. Estamos tão distraídos com a galera, a balada e a mulherada, que esquecemos que há liberdade lá fora. Que há vida além das grades da gaiola.
J: - Como assim?! Me fala mais sobre isso!
E: - Mano. Nós homens somos avacalhados por completo. Somos idiotas e vivemos o tempo inteiro arrumando um jeito de nos distrair e não tratarmos com a sujeira que escondemos debaixo do tapete. Tá ligado? E o tapete é a distração, a curtição. Todos os dias arrumamos um monte de distrações para não encararmos nosso fedor. E ficamos como micos amestrados, canários na gaiola, hamsters na rodinha, achando que aquilo é a maior liberdade, quando é a maior estupidez. E ainda por cima, nos achamos descolados. Isto é muito tosco véio, muito tosco.
J: - Mas, o que a galera maloca [esconde]?
E: - Cara. Geral esconde o pecado, a sem-vergonhice e a sujeira. E isso tem uma raiz. Se a gente não encara esta parada malocada da forma que ela é, vamos viver o resto da vida nesta ilusão, achando que é malandro, mas é uma pilantragem geral.
J: - Eu não tenho nada disso não mano véio, aqui, to de boa, to limpo!
E: - Tá de boa nada! Você é igual a mim, você não é melhor do que eu, somos todos um bando de vacilão. Tá ligado? E só tem um jeito de resolver esta parada. Você fraga?
J: - Não. Qual é desta parada?
E: - Cara. Jesus Cristo foi um judeu dá pesada. Ele é diferente da turma de sua época. Ele era um cara que sabia viver de uma forma, que a galera o cercava para saber quem era aquele filho de carpinteiro. Ele sempre dizia o que ninguém esperava. Sempre vivia fora do sistema, fora do que os alemão queriam. Jesus era tão brother, tão brother. Mano, ele amava tanto a galera, que Ele morreu pelo homem, sem culpa alguma, só pra denunciar, eliminar, tudo aquilo que caras como eu e você fazemos.
J: - To chocado!
E: - Pois é cara. Se liga só. E a parada é que Ele morreu na cruz e surpreendeu todo mundo com sua ressurreição. Mano, Jesus apareceu pra uma turma da pesada, os caras se arrependeram, por terem deixado ele na mão, e ainda falou com o dedo-duro de um de seus brother, um mano véio chamado Pedro, geral se arrependeu. Cara, a turma vibrou tanto com sua ressurreição, aquilo foi tão forte, que a galera quis viver aquele estilo de vida. Descobriram que eram "canarinhos distraídos" e saíram pelo mundo vivendo aquele barato para além da gaiola, ensinando mais gente a respeito disso.
J: - Que doideira esta lenda!
E: - Pois é. Muita gente diz que é lenda. Geral tenta negar isto. Mas, se quer saber... Quando a gente entende esta história, parece que alguma coisa na gente diz que é verdade. Alguma coisa queima no coração e começa mostra nossa condição suja. Aí véio, a única opção é se arrepender de verdade. É admitir que pecamos mesmo, que somos fanfarrões mesmo, e que sem Jesus, sem o que ele fez por nós, sem o amor dele, nós estamos na lama! Do contrário, vamos viver na gaiola. Tá ligado?
J: - Então o que faço cara? Me ajuda aí!
E: - Arrepende véio! Arrepende! Admite que você tá perdido! Admite, que você quer ser livre. Que Jesus Cristo faz sentido e que você quer ajuda. Você quer o amor dEle, a graça dEle. E pula pra dentro! Deixa Ele cuidar de você.
J: - Cansei véio. Quero uma nova vida. Quero mudar cara! Quero mudar...

"Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus
o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo."

(Carta de São Paulo aos Romanos - Capítulo 10, verso 9).
3 de set de 2010 | By: @igorpensar

A Soberania Absoluta de Deus

Este é um tema desenvolvido por John Piper. Por favor, se você ainda tem dúvidas sobre a soberania de Deus, ou sobre Sua atuação soberana, não deixe de ouvir isto. John Piper conta sua experiência com a doutrina da eleição, como sua pretensão humana ruiu (como a minha), e como ele descobriu que este ensinamento, mais do que uma doutrina para criar "contradições" teológicas, tem implicações pastorais profundas. Algo que tenho experimentado.


Fonte: Site Audível
2 de set de 2010 | By: @igorpensar

Jesus não é démodé.

Por Igor Miguel

Jesus não é démodé como podem supor. Jesus não é e não se restringe a um adesivo em um carro ou ao nome de um salão de beleza, ou a uma frase em um para-choque de caminhão, ou em uma camisa "gospel". Jesus Cristo ainda continua sendo, para muitas pessoas, o poderoso agente de transformações significativas na trajetória de indivíduos, famílias e comunidades.

Jesus deve ser compreendido dentro de uma história, dentro de um contexto. Sua biografia é surpreendente pois contradiz toda a expectativa e previsibilidade das grandes narrativas históricas da antiguidade e de nossos dias.

Um dos meus professores de literatura judaica sempre diz que uma boa literatura é aquela que
surpreende por sua não-previsibilidade. Uma boa história é aquela que contradiz todos os critérios normais e todas as expectativas do leitor.

Jesus poderia ter seguido as regras e expectativas estabelecidas. Podia ter vindo como um ser em luz e glorioso. Podia ter nascido em uma família nobre. Podia ser um "espírito" um "demiurgo", e nunca ter encarnado.

Jesus podia ter sido um homem que liderou uma revolução armada e destronou os poderosos pela espada. Jesus poderia ter subido ao trono e ovacionado admitir seu senhorio sobre todo Israel e liderar exércitos contra Roma. Jesus poderia ter trazido uma filosofia otimista de afirmação do ego e de todas as pretensões humanas.

Mas, como um bom conto, como uma boa narrativa, Jesus Cristo em sua história é surpreendente e imprevisível.

É incrível pensar como Ele, apesar de ligado a estirpe real do Rei Davi, nasceu em uma família de judeus simples da Galileia. Nasceu no interior de Israel, não nasceu perto das grandes academias judaicas da Judeia.

Jesus não nasceu entre os grandes filósofos do mundo grego, não escreveu nenhuma obra, manteve-se dentro da antiga oralidade judaica da época. Além disso, optou por um ensino que denunciava a perversidade das intensões humanas, denunciava a hipocrisia religiosa, os poderosos sacerdotes de sua época, chamou a atenção da religião popular e afirmou a fé monoteísta em um mundo permeado de auto-divinizações humanas e de culto à personalidade.

Jesus Cristo faz o caminho inverso do Olimpo, não galgou os lugares "altos", antes desceu das alturas, renunciou sua glória, para tangenciar as dimensões mais concretas da vida humana. Pois sua missão é com homens, por isto, encarna no corpo de um judeu filho de carpinteiro, escolhe mãos com farpas de madeira, mais tarde furadas por cravos, ao invés de mãos reais e trono confortável. A própria encarnação era loucura para os gregos e escândalo para os judeus.

A história de Jesus Cristo é surpreendente pois Ele propõe o triunfo sobre os opositores de Deus pelos meios mais impressionantes. Ele sugere amar os inimigos, orar pelos que o aborrecem, dar à César o que é de César, não valer-se da violência, dar a face ao que fere, dar o dobro ao que pede, ser manso, ser pacificador e tomar a cruz.

A mensagem de Jesus é um escândalo literário, uma narrativa que culmina com humilhação, com o esmagamento. O final da história de Jesus encerra-se com uma aparente fracassada crucificação e com uma ressurreição discreta, mas de uma grandeza tão magnífica, que sem nenhum
markenting sofisticado e sem grandes mobilizações, produziu um efeito em cadeia em seus seguidores.

Homens, mulheres, jovens, crianças, anciãos, uma grande linhagem de mártires e testemunhas, entregam-se apaixonados a Cristo e à imprevisibilidade de sua mensagem. Por isso, o evangelho é libertador, pois quebra a mecânica perversa do pecado, rompe com a redução da vida ao comer, trabalhar, estudar, curtir e dormir. Ao contrário, Jesus Cristo misteriosamente transforma estes elementos da rotina em grandes altares de expressão, culto e sentido para seus seguidores.

Ele desfaz as expectativas de "boa vida" que nos foram vendidas. Jesus Cristo nos insere em uma lógica existencial completamente subversiva, alternativa, cheia de amor e desígnio. Ele, Jesus, é o Alfa e o Ômega, uma linha transversal, que corta a normalidade e o rumo que nos foi imposto como a única opção de realização humana.

Enfim, Jesus Cristo continua surpreendendo. Transformando cada homem que entende sua mensagem em um nova história, em uma nova e impressionante obra literária.