13 de out de 2010 | By: @igorpensar

A salvação pertence ao Senhor

Por Igor Miguel
Escrevi um texto teológico sobre a revolução que aconteceu em minha mente e coração a respeito do que é o evangelho e como ele se opera. Nenhuma novidade que os teólogos clássicos e os cristãos já afirmavam desde a reforma protestante. Este texto é uma tentativa de apresentar o evangelho de Jesus Cristo de forma mais simples, porém, com toques em pontos fundamentais para que possamos prosseguir à plena compreensão de Deus em Jesus. Peço perdão se não fui claro no primeiro texto, ele está em uma linguagem excessivamente teológica, talvez necessária. Mas, este tem um tom de “discipulado”, uma linguagem mais catequética, espero conseguir compensar meu egoísmo em não trazer tão grande evangelho em termo mais compreensível.
O objetivo modesto desta exposição é apresentar o evangelho à luz da Carta de Paulo aos Efésios capítulo 2 do verso 1 ao verso 10. Sei que muitos fariam esta apresentação de forma muito mais competente. Mas, proponho uma abordagem simples e didática, tendo em vista que o evangelho, como é descrito nas Escrituras, alcance o maior número possível de pessoas. Estou convencido de que a crise da Igreja Evangélica no Brasil se deve principalmente a falta de compreensão do que é o evangelho. Este pequeno texto tem este propósito, comunicar a suficiência do evangelho e da graça em Jesus Cristo para que o homem seja salvo e colocado em uma nova realidade e vida.
ou
Escute também em áudio na íntegra






23 comentários:

Lucas Sanches disse...

Shalom Igor,

Estava neste caminho fazia algum tempo, mas jamais vi nenhum texto tão claro, objetivo e ao mesmo tempo profudo sobre o assunto. B"H por sua vida e seu ministério.

Sei que provavelmente críticas virão, mas a mais clara harmonia entre graça e obras é a Cruz!

Anônimo disse...

Olá Igor, gosto muito dos seus textos, apesar de não concordar com uma boa parte deles, mas talvez pelo fato de ver em vc grande vontade de estar conhecendo aprendendo mais de DEUS. E saiba q esta busca é infinita, logo, fica aí o alerta de q não teremos NUNCA uma teologia absoluta e fechada. Por q estou dizendo isto ? Pq vc ainda tem a péssima mania de em suas análises fechar as questões como se tivesse descobrido a verdade absoluta de DEUS. Não! Isto é um erro q só amadores cometem. Bons teólogos nunca fecham as questões, sempre estão abertos a novas interpretações, pq a teologia é progressiva, e os textos falam de diversas maneiras para diversas pessoas de diversas culturas em todas as épocas. Não é atoa que o evangelho sobrevive até os dias de hoje. Portanto tome cuidado com suas análises e nunca feche uma questão, não cometa o mesmo erro que cometou na AMES quando tbm achava que tinha descoberto a "galinha dos ovos de ouro"...Para jogar luzes no seu texto, gostaria de fazer vc pensar na cruz, só q não na história, a 2000 anos atrás, mas na cruz antes da criação. Gostaria de fazer vc pensar na salvação que precede a criação!

Abraços
Fábio

@igorpensar disse...

Obrigado Fábio,

Jesus é a nova e velha verdade pra mim, antes eu defendia Cristo com ardor, eu conheci Jesus com meus 17 anos. Tive um intervalo de 10 anos no qual preguei muita coisa importante, preguei muito, mas não pregava adequadamente o essencial que me salvou. Fiquei 10 anos sem pregar o evangelho adequadamente. O que explico aqui é Cristo, a salvação fundamental, definitiva, a verdade e a vida. Desculpe-me, mas esperava de você alguma objeção sobre o texto. No que me consta está claro que segui as palavras apostólicas.

O assunto aqui está fechado, tudo mais podemos discutir. O que é Jesus se não a salvação desde a criação? Não é Ele o cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo?

Não descobri a galinha de ovos de ouro, eu descobri a mina. Simples assim.

Mas, estou curioso em ouvir o que vc chama de salvação que "precede a criação".

Um grande abraço!

Anônimo disse...

Olá Igor...quando falo q a salvação precede a criação, estou querendo dizer que Cristo é a manifestação desta salvação, ou seja, o Senhor da vida, o qual o muitos não reconheceram, e chegaram a matar o autor da vida.

Com isso entendemos que DEUS não está irado com a humanidade, tanto que enviou se filho JESUS para salvar, no sentido pleno da palavra, o ser humano e mostrar que o Pai, ao contrário do que os religiosos diziam e ainda dizem, vos ama. E é este amor imenso que nos constrange e nos leva ao arrependimento Rm 2.4.

Uma vez o ser humano, entendido este amor DEUS, todos os deuses caem por terra, todos os sacrifícios para ganhar o favor de DEUS caem por terra, as barganhas, as obras meritórias, as penitências, enfim, toda religiosidade cai por terra. Chega de tudo isto, O Pai vos ama, permitam ser amados por ele. O problema Igor é q muitos não acreditam neste amor de DEUS, desconfiam dele a ponto de criarem formas e mecanismos para se achegarem a DEUS e assim se sentirem seguros, ou seja, não seguem o exemplo do pai da fé abraão, q viveu inteiramente pela fé, sem se apegar a conceitos e formas que só proporcionam uma falsa sensação de poder.

Precisamos se entregar nos braços de DEUS e descançar pq o Espírito do qual fomos selados Ef 1.13, é o mesmo que irá nos ressucitar, ele é a garantia de q DEUS nos ama.

Abraços
Fábio

Lucas Sanches disse...

Shalom chaver(im),

Acho curioso discutir a questão da salvação pré-Mashiach, ou "precedente a criação", principalmente acho curioso a tão grande crítica no referete ao AMES. Creio que seja conveniente lembrar que um dos ministros do AMES ministrou sobre haMakom, será que o chaver lembra-se disso? Teria ele descoberto a graça em outra coisa sem ser o sacrifício do Cordeiro? Creio que haja uma grande confusão em ir contra inclusive essa ministração.

Quanto a teologia fechada, realmente devemos considerar que três coisas mudaram com os séculos: informação, tecnologia e comunicação, isto fez com que o pensamento humano evoluisse, mas de modo algum faz com que a Palavra "evolua". Acaso deixou o roubo de ser roubo? Teria sua classificação mudado? Acaso deixou a morte de ser morte? A vida de ser vida? A Palavra JAMAIS muda, renovar e "alterar" são coisas diferentes, o que muda é o acesso que o homem tem a essas informações.

Ouso aqui a questionar a Salvação dos chaverim que tanto têm condenado o chaver Igor, pois temos três diferentes análises: 1) Os chaverim possuem total dependencia dele como se ele fosse o mashiach; 2) Se os chaverim o consideram tão culpados assim demonstra uma falta do Evangelho, pois não aprenderam a perdoar; 3) O que está sendo promosto pelos chaverim não é um Reino, mas uma ilha chamada Cuba.

Chaver Igor, gostaria de fazer-lhe uma pergunta a qual considero ser pertinente ao conteúdo: como podemos considerar a salvação daqueles que jamais ouviram nem sobre o Mashiach e nem sobre o Eterno?

Permaneçam na graça do Mashiach

Cristiane Gleice disse...

Boa tarde, Igor! Essa mensagem é muito clara, e nos enche de esperança... pois o homem não pode de forma alguma salvar a si mesmo!A própria história da humanidade mostra isso. Seu artigo vai de encontro ao ponto central do Cristianismo e está de acordo com o desenvolvimento das ideias de cristãos sérios, inspirados e comprometidos com o Reino de Deus, como Schaeffer (Verdadeira espiritualidade), C.S.Lewis (Cristianismo Puro e Simples),N.T. Wright (Simplesmente Cristão), Jonhs MacArthur Jr (O Evangelho Segundo Jesus). Gostei muito da abordagem sobre José das Dores e Maria das Graças!!! Que o Senhor o abençoe nessa trajetória e na expansão do Reino de Deus nessa Terra. Em Cristo,
Cristiane Gleice Ribeiro de Carvalho

@igorpensar disse...

Fábio,

Obrigado por seu comentário. Uma pergunta: como você lida com o trecho da carta de Paulo aos Efésios que analiso, que afirma que os homens sem Cristo são "filhos da ira por natureza"?

Abraços!

@igorpensar disse...

Lucas,

Nossa preocupação primaz deve ser pregar o evangelho. A abordagem paulina sobre a salvação é importante pois tira do evangelista um peso muito grande, como se fosse responsável pela conversão das pessoas. Esta foi a proposta do avivamento encabeçado por Charles Finney.

O evangelista é responsável pela pregação, pelo anúncio, mas, a conversão (salvação) pertence ao Senhor. O que significa que nos compete pregar o evangelho indistintamente, onde o Senhor deseja que o façamos. Em Atos temos vários textos em que a missão apostólica foi impedida de entrar em determinados territórios da Ásia Menor.

Em alguns lugares a missão era frutífera, em outros, até por meio de sonhos (como o varão macedônio), nações clamavam por salvação. No final das contas temos que ser humildes e admitirmos que o Senhor é quem salva.

Se existem povos não alcançados, temos que orar, para que as portas da salvação se abram para eles. Mas, enquanto as portas estiverem cerradas, temos que admitir que estão cerradas pelo Deus que salva quem quer. E temos que admitir que a vontade de Deus, ainda que não compreendida totalmente, é sempre boa, perfeita e agradável.

@igorpensar disse...

Cristiane Gleice... muito obrigado por se alegrar comigo com a salvação. Fico feliz que estamos nos alinhando com uma linhagem de homens tão valorosos, que se engajaram em tornar o evangelho relevante em seu frescor e sentido.

Em Cristo,
Igor

Lucas Sanches disse...

Shalom Igor,

Sua colocação lembrou de uma ministração do Elhanan sobre a restauração de Israel: "aguarde em Jerusalém". Realmente muito boa sua colocação, porém, segue outra questão seguindo o mesmo raciocínio: quando a Romanos 8.30: "E os que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou"

Estaria Paulo abordando a questão da salvação através da compreensão da eternidade, isto é, estaria ele abordando que o Eterno sabe quem O aceitará mesmo antes que a pessoa tenha consciencia disto? (Lembrando que o Eterno é onisciente) Seria esta a questão da "predestinação" abordada por Paulo?

Permaneça na graça do Mashiach

@igorpensar disse...

Lucas, neste caso vale a pena uma lida em meu "texto mais avançado" sobre o tema aqui: http://pensarigor.blogspot.com/2010/08/salvacao-pela-graca.html

Rodrigo Moraes disse...

Bela mensagem!

A propóstito, a palavra nos ensina que somos salvos pela GRAÇA e não pelo AMOR de Deus (pela graça sois salvos).

O amor de Deus levou-o a dar seu Filho por nós (cf Jo 3:16), mas a Salvação não consiste no caráter universal de Jesus ter morrido por nós, mas sim no caráter individual de irmos até Jesus e recebermos dele a salvação. E isto é obra do Pai:
Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou não o trouxer; (Jo 6:44)

A propósito, o mundo está sim sob a ira de Deus:

Jo 3:36
Quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, porém, desobedece ao Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus.

Abraços,
Rodrigo

Leo disse...

Nós vemos muita coisa de Finney permeando a pregação de muitos hoje em dia, graças a ele há esse caos com relação a graça, Augustus Nicodemus possui um estudo muito bom a respeito da teologia de Finney onde ele aponta erros graves, e a influência disto hoje, se já não bastasse os liberais dizendo que Cristo morreu apenas para dar um exemplo, se já não bastasse relativizar a Palavra, relativizam a Graça, jogaram a doutrina pelagiana, relativismo liberal, uma pitada de Finney no mesmo caldeirão e "cabum" lá se foi o Evangelho, e com Ele a Redenção....

Sola Gratia

Leo

@igorpensar disse...

Pr. Rodrigo,

Que bom vê-lo por aqui. Ouvir suas considerações a respeito do texto apresentado alegra meu coração, pois vejo que compartilhas do mesmo júbilo.

Um grande abraço!

@igorpensar disse...

Leo... vc acertou na lata. Exatamente isto que a galera ainda não sacou muito em geral no Brasil. Que o que proponho teologicamente não é um "calvinismo escolástico", mas o evangelho, simples assim, o mesmo evangelho que por MEIO de homens com João Calvino e outros reformadores, se espalhou por toda Europa transformando cidades e vilas inteiras, dobrando joelhos diante do senhor de Jesus Cristo. Eis nossa missão! Não tornar Calvino ou a tradição reformada conhecida, tornar o Cristo pregado desde os apóstolos, passando por todos reformadores, afirmado em um mundo despedaçado por um cristianismo pragmático, pietista e enclausurado nos limites da Igreja Local.

Que Jesus, por seu Espírito, inunde o mundo de graça!

Anônimo disse...

Como explicar textos como: "o Senhor não leva ou considera o tempo da ignorância" e "deixa vir a mim as criancinhas porque delas é o reino dos céus".
Shabat Shalom,
Maurilio.

Anônimo disse...

Olá Igor, tudo bem ?

Quanto a sua pergunta, vejo que a natureza em q fala o texto não se refere a natureza biológica. Pq parto do princípio que somos pecadores pq pecamos e não pecamos pq somos pecadores. E somos pecadores pq somos humanos e não divino, ou seja, como humanos limitados e livres temos a possibilidade de errar. E errar na verdade não é o maior problema, até pq DEUS conhece nossa estrutura...mas o problema maior é ser irresponsável com a vida q DEUS nos deu. DEUS não está "preocupado" com o nosso pecado, até pq ele já resolveu este problema, mas está preocupado com o q estamos fazendo da vida.

Estou tentando achar um texto de um amigo meu q esclarece bem este tema porém não estou encontrando. Quando encontrar posto pra vc...

Abraços
Fábio

@igorpensar disse...

OK Fábio,

Eu aguardo o texto.

Abraços,
Igor

victor disse...

Igor, sabe ql o problema que eu vejo nesse jeito de pensar essa forma de salvação (que é baseada na predestinação)? É que tem que haver requisitos para que Deus escolha uns e não outros.E esses requisitos quem deve exercer é o homem!Porque veja bem, se Deus já põe o homem no mundo com as condições de ser salvo, então com ql objetivo ele põe os que não vão ser salvos na Terra, uma vez que não é da vontade dele que nenhum homem se perca? Não estou duvidando da soberania de Deus sobre todas as coisas. De forma alguma. Porém eu acredito nesse livre arbítrio que ele deu ao homem de reconhecer ou não essa graça imerecida que nos foi dada. Caso contrário, a salvação jamais seria perdida, certo? Então como vc justificaria aquele texto que diz para sempre estarmos questionando a nossa salvação? E como seria explicado os casos de apostasia?

Paz, amor e empatia!!

@choks23

@igorpensar disse...

Vitor, blz?

Vamos pensar...

Por que é necessário requisitos para que Deus escolha? Se houver requisitos, eles seriam baseados em que? Na justiça humana? Se assim o fosse eu e você seríamos os primeiros a sermos eliminados, junto com toda humanidade. Afinal, baseado em inúmeros textos bíblicos, todos indistintamente pecaram e destituídos estamos da Glória de Deus. Outro problema, se a escolha fosse baseada em "obras de justiça", não haveria necessidade de graça, nem da cruz, nem de Cristo. Afinal, nossas justiças autônomas seria suficiente, o critério final.

O que significa que a escolha tem outra causa, e ela não está nos homens. Está em Deus. Ele sim é a causa da escolha. Qual critério? A beneplácito de sua vontade (Ef 1). Há injustiça? Paulo responde:

"Que diremos, pois? Há injustiça da parte de Deus? De modo nenhum! Pois ele diz a Moisés: Terei misericórdia de quem me aprouver ter misericórdia e compadecer-me-ei de quem me aprouver ter compaixão. Assim, pois, não depende de quem quer ou de quem corre, mas de usar Deus a sua misericórdia." (Rm 9:14-16).

Assim, não somos salvos por nosso mérito, mas pelo mérito de Cristo. Por isto, ele foi o único homem que cumpriu absolutamente as exigências da justiça (Torá). De novo, a gravidade de concentrar o homem qualquer "influência" sobre a salvação, abre um precedente grave, que tem implicações práticas complexas. Por outro lado, ao admitirmos a salvação como uma ação totalmente e soberanamente divina, nosso coração se enche de alegria e gratidão traduzidas em obras de amor.

A "apostasia" significa que existem "falsos iluminados" na Igreja. Pessoas que pareciam crentes, eleitas, mas não eram. A apostasia é um aviso, para permanentemente reavaliarmos nossa condição de salvos, um destes critérios, é como lidamos com o pecado. A frouxidão moral pode ser um indício que ainda não fomos regenerados.

"Por isso, irmãos, procurai, com diligência cada vez maior, confirmar a vossa vocação e eleição; porquanto, procedendo assim, não tropeçareis em tempo algum" (II Pe 1:10)

Vamos pensando...

Maycon Barroco disse...

Olá Igor, muito interessante "sua" expressão sobre a Salvação, me identifiquei bastante com a realidade do seu desenvolvimento claro e simples. Creio que o Evangelho de Cristo é tão simples que os homens confundem as coisas. Precisamos sim, observar as palavras de ensino de Cristo como instruções verdadeiras e não como "historinhas da carochinha". Através de uma doutrina (Mt. 5 a 7) perfeita vivemos à alegria de estar inserido na justiça do Reino. Agradeço a Deus pela revelação da Cruz e o seu grande amor. Um forte abraço e construa seus muros com as pedras lançadas! rs

Ah! Cabo Frio continua lindo!

Maycon Barroco

@igorpensar disse...

Maycon,

Muito obrigado pelas considerações.

Não faz isso comigo não! Eu amo esta cidade... mas, é uma coisa complexa. Amo a terra do pão de queijo também. he he he. Mas, como não somos onipresente tenho que exercer minha paciência ante meu amor por estas duas cidades.

Abraços,
Igor

Zelmar Guiotto disse...

Sou frade capuchinho. Texto sério. Apreciei. Sempre me inquietou tantas denominações de igrejas, talvez, a diversidade mostre como existem mil caminhos para chegar Nele.