14 de out de 2009 | By: @igorpensar

Qual é a melhor tradução da Bíblia?

Por Igor Miguel

Qual é a melhor tradução da Bíblia? Me perguntam isso com tanta frequência que me sinto obrigado a escrever um comentário sobre o assunto. Tentarei ser breve a este respeito.

Não existe uma melhor tradução da Bíblia em termos absolutos.
Porém, existem boas traduções para determinados textos que são péssimas para outros. Então, qual seria a solução? Uma leitura comparada. O que é leitura comparada?

A leitura comparada, seria a leitura de um determinado texto bíblico comparado entre as diversas versões disponíveis em língua vernácula (em nosso caso o português) e/ou em outras idiomas que se tem domínio. Isso significa ter um monte de Bíblia aberta sobre a mesa? Não, pois hoje em dia é possível ter programas de computadores com várias versões, que podem ser abertas paralelamente, possibilitando assim, a leitura comparada entre as diversas versões.

Quais seriam as principais versões em língua portuguesa? O Brasil é o pais com mais versões e traduções da Bíblia no mundo. Existem mais versões da Bíblia em português do que em qualquer idioma. Isso é uma vantagem? Sim, sem dúvida!

O problema da tradução é que ela é limitada por natureza. O texto original em hebraico (AT) ou grego (NT) possui algumas palavras com dezenas de possibilidades de tradução, obviamente, o tradutor é limitado e só pode eleger uma tradução dentre as várias possiblidades. Resultado? Tradução é uma limitação do original, inevitavelmente. Um afunilamento das possibilidades tradutórias. Por isso, a leitura comparada é o mais indicado, e quanto mais versões para essa leitura, melhor.

Obviamente, que a melhor forma de se ler os textos bíblicos é lê-los no original (hebraico para a Bíblia Hebraica e grego para o chamado Novo Tesamento). Porém, aos que tem dificuldades para aprender alguma dessas línguas o indicado é a leitura comparada.

Segue abaixo as principais versões da Bíblia em português:

- Tradução João Ferreira de Almeida: Revista e Atualizada (ARA)
- Tradução João Ferreira de Almeida: Revista e Corrigida (ARC)
- Tradução João Ferreira de Almeida: Edição Contemporânea (AEC)
- Nova Versão Internacional (NVI)
- Tradução Ecumênica da Bíblia (TEB)
- Bíblia Hebraica em Português da Editora Sêfer (BHP) - só Antigo Testamento.
- Novo Testamento Judaico - David Stern (NTJ)
- Bíblia de Jerusalém (BJ)
- King James - tradução para o português - (KJV)

Existem versões que são nativas em português, outras que já são tradução de tradução, como a BJ que veio do francês, a NTJ, NVI e a KJV que vieram do inglês.

Bíblia em outros idiomas que ajudam muito, Hebrew Bible - Jewish Publish Society (só a Bíblia Hebraica - Antigo Testamento), Young Literal Translation (uma tradução literal da Bíblia), New King James Version (nova versão da King James) e em espanhol a consagrada Reina Valera, principalmente a Nueva Version.

Importante mencionar, que não se deve confundir "versões" com "Bíblias de Estudo". Algumas pessoas me perguntam: A Bíblia Thompsom é boa? Bíblia Thompsom não é uma versão ou tradução, é uma Bíblia temática de estudo. A Thompsom é baseada em uma versão, neste caso a Almeida Edição Contemporânea (AEC). A Bíblia de Estudo Pentecostal, por exemplo, adotou a Almeida Revista e Corrigida (ARC). A Bíblia de Estudo Almeida, adotou a Almeida Revista e Atualizada (ARA) e assim por diante.

Bem, se alguém tiver mais algum dúvida sobre traduções da Bíblia é só comentar. Farei o possível para orientá-los!

____________
Nota: Bíblia Linguagem de Hoje não é "Bíblia" no meu ponto de vista. É uma paráfrase teológica da Bíblia, por isso não listei a referida obra acima.

16 comentários:

Giliardi Rodrigues disse...

Shalom Igor,

Com relação ao Novo Testamento, uns dizem que foi escrito em grego e aramaico, já outros afirmam que foi em hebraico e mais tarde transliterado e traduzido para o grego e o latim.

Gostaria de saber se existe um fonte segura de pesquisa que relacione quais livros foram escritos em hebraico e quais foram escritos em grego ou em outro idioma?

Igor Miguel disse...

Giliardi,

As informações históricas que temos são as seguintes: Eusébio, em seu livro História Eclesiástica menciona que os Nazarenos (judeus que criam em Jesus no I Século) possuíam um versão do evangelho em hebraico denominada "Evangelho dos Hebreus". Que evangelho era esse? Há quem diga que foi a primeira narrativa do ministério de Jesus e a fonte dos evangelhos sinópticos (mt, mc e lc). Há alguns que teorizam que o Evangelho de Mateus é o que possui maior proximidade com uma fonte hebraica. De qualquer forma, não podemos afirmar que nenhum dos escritos do NT foram originalmente em língua hebraica ou aramaica. Porém, de fato, o grego do NT é um grego que chamamos "semita", pois é carregado de estruturas hebraicas, apesar de escrito em grego. Espero ter ajudado!

Ricardo Mamedes disse...

Estou a partir de agora seguindo o seu blog. Vi um comentário seu no blog do Roberto Vargas, que também sigo. Espero uma visita sua no meu blog: ricardomamedes.blogspot.com. Quanto ao texto, você acha que a versão NVI de fato traz uma série de incongruências e heresias, pois é certo que suprimiu partes de alguns versículos do NT? Amplexos. Em Cristo.

Igor Miguel disse...

Ricardo,

O desconforto que há com a NVI é principalmente em círculos conservadores ao extremo, pois ficam desconcertados com as notas críticas na NVI. A NVI tem notas de rodapé que informam o leitor as variações de palavras nos diversos manuscritos (do NT e do AT). Penso que estas notas, são o grande trunfo da NVI, pois de fato temos várias cópias e existem pequenas diferenças entre uma e outra cópia. Estas diferenças em um texto ou outro podem ser decisivos. Outro detalhe é que a NVI baseou-se nas melhores versões hebraicas e gregas da Bíblia, as versões crítica Stuttgart (AT) e Nestle-Aland (NT).

Um grande abraço e desculpe-me pela demora!

Fabrício disse...

Igor, Shalom!

Uma pequena correção... a Bíblia de Jerusalém é traduzida dos originais mesmo, apenas utiliza as mesmas técnicas de tradução da versão francesa.

Abs!

Igor Miguel disse...

Olá Fabrício,

Obrigado por sua contribuição. Tenho minhas dúvidas. Apesar do prefácio da tradução mencionar a equipe de exegetas para a tradução em português, não há um menção clara, que foi uma "tradução dos originais gregos/hebraico", ou uma tradução da versão francesa direta ou amparada por estes últimos. De qualquer forma, obrigado pela contribuição, se você conseguir maiores informações a respeito, seria ótimo, para o esclarecimento do público em geral.

Obrigado!

Igor Miguel disse...

By the way, visito com muita frequência seu blog. Excelente conteúdo! Penso que a teologia reformada, está contribuindo para uma revolução teológica e pastoral no evangelicalismo brasileiro. A percepção soteriológica e teonomica da reforma, são pontos importantíssimos, que o arminianismo não conseguiu iluminar. Parabéns!

Fabrício disse...

Enviei um e-mail para a Editora Paulus, vamos aguardar uma resposta.

Legal saber que você conhece o blog, administro ele em conjunto com 2 amigos aqui de Florianópolis.

Acompanho o Ministério Ensinando de Sião (virtualmente) há vários anos. Até visitei a Har Tzion no começo de 2006.

Abraço e Shabat Shalom!

Observatório Teológico disse...

Olá Igor, muito bom seu blog, tornei-me seu seguidor e gostaria de divulgar nossos blogs para seu conhecimento. 1)Observatório Teológico - www.observateologia.blogspot.com e 2)Blog do Discípulo - www.creioeunabiblia.blogspot.com, que Deus abençoe ricamente seu ministério.

Cicero Ramos

Samuel disse...

Olá irmão Igor!

Gostei muito de seu blog.

Há uma nova versão em circulação:Almeida Século 21(Vida Nova).

Há duas Almeida Revista e Corrigida:uma da SBB e outra e IBB/JUERP.



Também é muito boa a Bíblia do Peregrino de Alonso Schökel(Paulus Editora). A Bíblia do Peregrino foi publicada inicialmente em 1996 na Espanha. E encontra-se, hoje, traduzida em vários idiomas inclusive em português.
Bíblia Ecumênica :
O livros da Bíblia Ecumênica segue a mesma ordem cronológica da Bíblia Hebraíca.

Abraço
Por causa do Calvário
Samuel

Paulo Goes disse...

Igor, já que tratamos de traduções da Bíblia, será que podemos considerar enfaticamente a Peshitta aramaica? Digo isso porque, a língua oficial da diáspora foi o aramaico e também é de conhecimento da Igreja Católica (que defende a unhas e dentes a hipótese dos originais do NT terem sido escritos em grego) que as igrejas do oriente sempre tiveram fluência no aramaico e defendiam a tradução posterior ao grego da Peshitta aramaica.

@igorpensar disse...

Olá Paulo,

A Peshita é uma derivação do Antigo Siriaco que por sua vez tem raízes no Codex Bizantino, o que significa que ela é uma versão síriaco-aramaica das versões gregas. Não é a Igreja Católica quem diz que estas versões são as mais antiga, a história comprova isto, inclusive comissões bíblicas protestantes. Entre os judeus que estudam o NT academicamente, também não dúvidas a este respeito.

Por outro lado, é possível um trabalho de recuperação de expressões aramaicas a partir de um trabalho arqueológico no próprio texto grego do NT.

Um exemplo de pequisa deste tipo é a obra intitulada: "An Aramaic Approach to the Gospels and Acts" (Uma abordagem aramaica sobre os evangelhos e atos) de autoria de Matthew Black - http://www.amazon.com/Aramaic-Approach-Gospels-Acts/dp/1565630866

Abraços!

wanderley disse...

Ola Igor !


As escrituras biblicas , que temo em mãos hoje , ela contem alguma adulterações ??

No texto do livro de Mateus do Cap 28 vs 19 , e muito Criticado no meio do Judaismo Mêssianico , e também em outros grupos de Judaismo que acredita que Yeshua ( Jesus ) e o Messias . Esse versiculo contem nos originais ?

Desde de ja lhe agradeço...

E.L disse...

É sempre bom comparar o texto da Bíblia em várias traduções como foi falado nessas postagem,mas não é só isso,como também devemos ter intimidade com Deus e pedir entendimento para ele..

renovacaomental-rm.blogspot.com/
Pra você que quer viver o Evangelho como a Bíblia diz,e não como homem pensa.

xis18 disse...

Por a Versão NOVA JERUSALEM diz em salmos 45 . 6 O teu trono é DEUS, e outras versões diz: O trono, Ó Deus... com essa diferença, a primeira , acaba tirando a divindade de Jesus , sendo que em 1 HWEBREUS 1.8 menciona o Teu Trono, Ó DEUS.....

quem tá certo ?

Victor Hugo Paiva Coelho disse...

Dependendo da versão, a melhor biblia varia, como ele falou. A Bíblia de Jerusalém realmente é uma excelente versão porque, como na NVI, trabalha muito com os originais e o texto original, citando até os papiros e unciais de onde proveram. Mas uma que eu indico é a Bíblia Judaica, de David Stern, pelo menos para o Antigo Testamento. Apesar de ser um meio termo de paráfrase e literal, o antigo testamento tá realmente no literal hebraico (o autor é judeu messiânico) e é uma leitura extremamente fácil de se fazer. De um modo geral, a NVI é mais recomendada até do que as versões da Almeida, por se tratar de uma tradução de um grupo.