3 de set de 2010 | By: @igorpensar

A Soberania Absoluta de Deus

Este é um tema desenvolvido por John Piper. Por favor, se você ainda tem dúvidas sobre a soberania de Deus, ou sobre Sua atuação soberana, não deixe de ouvir isto. John Piper conta sua experiência com a doutrina da eleição, como sua pretensão humana ruiu (como a minha), e como ele descobriu que este ensinamento, mais do que uma doutrina para criar "contradições" teológicas, tem implicações pastorais profundas. Algo que tenho experimentado.


Fonte: Site Audível

8 comentários:

Daniel disse...

UAUUUU!!! Qdo nos deparamos com a soberania de Deus somos humilhados e impactados com o fato de que antes de entregar a Ele tudo o que sou e tudo o que tenho, tudo nunca deixou de ser dEle!!

INSTITUTO ABBA disse...

Uau! Muito bom! Vou ler Romanos 9 de forma diferente. Amo a Soberania de Deus. Amo o Reino de Deus. Obrigada, Igor pelo trabalho de peneirar o conhecimento e apresentá-lo a nós. Um grande abraço!

Alexandre disse...

Dessa vez não posso concordar com vc porque, Deus exerce sua soberania não predestinando algumas pessoas para salvação e outras á condenação, mas, Deus exerce sua soberania nos dando o livre harbítrio para escolhermos a nossa eternidade. Assim, Deus demonstra o seu grande amor por nós, porque se seguirmos essa linha de pensamento como saberemos quem são os salvos e os condenados????
Um abraço.

Eberton disse...

Que loucura em, sabendo disso mostra o quanto somos dependentes da misericórdia de Deus, e mais um motivo de não nos orgulharmos de nada, pois tudo vem da vontade de Deus. Tremendo esse comentário. Glória a Deus pois somos uns dos que Ele não endureceu o coração pois cremos e vemos tudo o que Ele tem feito, e mais ainda é nossa obrigação interceder pelos que ainda não veem.

@igorpensar disse...

Alexandre, te aconselho a ler meu texto sobre a salvação pela graça aqui: http://pensarigor.blogspot.com/2010/08/salvacao-pela-graca.html leia os comentários, pois muitas dúvidas como a sua foram lá explicadas. Se ainda não ficar claro, vamos conversando.

Muito obrigado por sua opinião, eu amo a franqueza, aprendi com Francis Schaeffer, que perguntas honestas, merecem repostas honestas.

No amor dAquele que não me entregou à minha miserável autonomia, por isso me salvou por graça.

Igor

Rafael disse...

Shabat Shalom Igor!!!
Gostaria de deixar um pensamento meu acerca da Salvação, ciente de que meu conhecimento das Escrituras é infinitamente menor ao de Edwards, Spurgeon, Whitifield e você mesmo.
A revelação que tenho é que todo aquele que expressa o desejo intrisceco de Teshuva, tdo aquele que deseja aceitar tudo aquilo que lhe foi dado por Graça para os fins que esta Graça foi lhe dada, crê em Cristo!!!
Crer em Cristo não em um sentido demodé para mim é crer naquilo que Cristo expressou durante sua vida, morte e ressurreição, crer em Cristo no sentido de conhecer para experimentar o real sentido do Amor e da Graça.
Observemos que tudo aquilo que foi criado expressa Sua entrega, os céus, a terra, as águas, a natureza, nossa inteligencia, enfim tudo reflete Sua Glória e o Seu amor, com base no despojar do Eterno, no sentido de que tudo aquilo que Ele podia nos doar Ele doou, até a ultima gota do Seu próprio Filho Amado, ao ponto de podermos até mesmo ser chamados de "deuses" pois essa Graça nos foi entregue nosso DNA, nossa essencia que é sermos feituras a Sua imagem.
Ora, ao me deparar com tudo isso percebo que o Amor sem um alvo deixa de ser pleno pois para isso é necessario uma aceitação daquele, crer em Cristo para mim é entender que o verdadeiro Amor tem sua essencia na entrega, e essa entrega de todo espirito, mente e com todo o meu muito eh apenas a expressao do meu desejo por viver nesse Amor, é a forma de eu "alcançar" esta Graça pois como posso viver a plenitude de todas as coisas criadas nesta mesma Graça sem me doar por completo ao exemplo de Cristo?
Poranto ao meu ver todo aquele que deseja, expressa o seu desejo e a eleição entre em confusão nesse ponto ao meu modo de ver, o ponto que quando eu desejo esta Graça e ela não esta longe dos meus olhos nem do meu coração para que eu possa alcançar, quando a Glória do Senhor foi derramada sobre toda a carne, quando os coraçoes dos filhos estão se convertendo ao dos pais, é impossivel eu não conseguir desfrutar desta Graça se assim o meu desejo for!!!
Assim como o Tabernáculo estava aberto as 4 bandas para todo aquele que desejasse entrar, da mesma forma hoje todo aquele que deseja ser Salvo lhe é concedido a Redenção ou melhor Rendição da sua má inclinação, quando o meu desejo é realmente crer em Cristo, ou seja, me fidelizar com uma entrega total de todo meu ser pois só assim posso viver a plenitude desse Amor que se entregou mesmo sendo Deus de todo Seu Ser também, eu sou Salvo, Salvo pois desejei, e realmente desejei ai sim esta Graça "me" alcançou pois rendeu minha má inclinação, matou meu velho eu, derramou do Seu Espirito, e hoje herdei a vida Eterna, aquilo que é Eterno, e toda essa herança é fruto de um amor bilateral, reciproco, de duas entregas totais, então eu desfruto de toda essa Vida Eterna que me foi preparada e sou Salvo de todo outro tipo vivencia, todo Falos é repudiado pois não se pode viver o Verdadeiro sem a maior verdade que existe no evangelho, e o maior sinonimo do Amor que se chama Entrega.
Bom desculpa o tamanho do texto, tentei sintetizar aquilo que penso porém não consegui expressar tudo, grande abraço,
no amor Daquele que me ensinou que este amor se basea em doação por isso Se doou por mim e me ensinou a me doar a Ele,
Rafa

Jorge Fernandes Isah disse...

Igor,

algo que o reconhecimento da soberania de Deus, como a mais clara mensagem bíblica, nos traz é a reverência e submissão a Deus, reconhecendo nEle toda a sabedoria, santidade e perfeição, despojando-nos de qualquer desejo de auto-exaltação, de encontrar em nós falsos "poderes" que, no fundo, nos levará sempre à rebeldia contra o Senhor, em nome da autonomia ou livre-arbítrio.

O livre-arbítrio é algo impossível para as criaturas diante do Deus soberano. Ou Deus é soberano, ou o homem é autônomo [assumir o posto de "deus"]; e algo ainda mais impossível, é que o conceito de livre-arbítrio implica em neutralidade, em isenção, e nenhum homem nasce neutro ou isento de influências ou coerção. A própria Lei Moral é coercitiva e punitiva, para dar um exemplo apenas.

A soberania de Deus nos põe em nossos devidos lugares, como criaturas miseráveis que somos, e não deseja tirar Deus do seu trono, o que muitos fazem inconscientemente, levados pela interpretação errada da Escritura, através da lente humanista.

Parabéns por suas últimas postagens. Não tem sido possível comentar todas, e nem é necessário, pois elas mantém a mesma qualidade e estilo pessoais, porém, refletem as profundas marcas que o Evangelho imprime à alma do homem.

Cristo o abençoe!

Abraços.

Anônimo disse...

Então fascinante este espaço está bem desenvolvido.........Boa pinta :/
Amei Continua assim !