7 de out de 2009 | By: @igorpensar

Eu e Tu na tenda frágil.

Por Igor Miguel

Deixe-me te acolher. Não quero te ver como estranho, não quero te ver como "Ele", "Ela" ou "Isso", quero te acolher como "Tu". Hospeda-te aqui, entra em minha tenda frágil.

Mas, o Tu Eterno se fez carne e morou aqui no meio de nós.

Não quero te ver como um estranho, não quero te ver como estrangeiro e peregrino, hospeda-te em meus domínios. Tem água fresca para acalentar tua sede. Tem pão fresco e esfumaçante para matar tua fome. E, se a noite esfriar, tenho lenha o suficiente para aquecer os teus pés. Mas, não passe de teu servo, sem antes inclinar-te sob este teto simples. Juro que te acolho, que te sentirás confortável e que não te faltará nada.

O vento costuma vir contra esta casa frágil, ouço o som dos pregos ruindo forçados pelas rajadas, mas não temo enquanto estas aqui, sei que nada acontecerá, sei que enquanto estás aqui, por graça ou por mistério o vento não prevalecerá. A única coisa que posso fazer, não por recompensa, não por interesse, mas por amor, é te servir.

Vou enfeitar a mesa, eu juro! Vou colocar frutos, flores, velas e a toalha que herdei de meus avós e te assentarás aqui, só Eu e o Tu, juntos, sem objetos, sem ilusões, pura comunidade, puro vínculo e puro encontro.

Enquanto estiveres aqui na minha tenda frágil, não poderei mais usar enquanto, pois será sempre, será eterno. "... mais vale um dia em teus átrios que milhares a meu modo..." (Sl 84:11).

Arrepia-me a tua presença, meus ossos tremem diante de tua integridade, meus olhos marejam de emoção, sinto um fogo ardendo dentro de mim e esgotam-me as palavras. Neste momento só há o Tu, puro, imediato, eterno, atemporal, inesgotável, indescritível... [silêncio].

"O homem se torna Eu na relação com Tu" (Martin Buber)

8 comentários:

Gisele A. Borges Ferreira disse...

Realmente é de arrepiar imaginar uma cena tão pessoal e íntima com aquele que é Eterno. Que esse possa ser o nosso dia-a-dia. Gi.

Igor Miguel disse...

Que bom que você gostou! A experiência é mais ou menos esta mesmo... Que bom que você compartilha do mesmo amor pelos átrios (Salmo 84).

Fernanda Miguel disse...

Que profundo...me arrepiei..senti claramente cada linha com tal profundidade que meus olhos foram dominados por uma emoção incontrolável!
Continue colocando a nossa disposição textos assim..um tanto renovadores !

Igor Miguel disse...

Obrigado maninha... os Miguel precisam passar por aqui de vez em quando. Beiju!

Fernanda Lima disse...

Já lestes Henri Wallon?

@igorpensar disse...

Se for da educação, que trabalha com motricidade e cognição, já li uma obra sobre ele e alguns artigos. Conheço alguns especialistas sobre o Wallon na FEUSP. Abraços,!@

Mara Varjão disse...

Gostaria muito de ler o livro do Buber, desde que ouvir vc falar deste relacionamento do Eu e tu eterno na aula não durmo direito, é profundo e infinito, agora então depois de ler isso, pronto ...demais ...esse nível de relacionamento com o Pai, satisfação amar a Deus de todo coração e entendimento,muda tudo, tudo mesmo ...

@igorpensar disse...

Pois é maninha! O Martin Buber começou a ser lido no Brasil há pouco tempo. Suas reflexões são de uma sensibilidade que filosofia e espiritualidade se entrecruzam. Superando o falso dualismo entre racionalidade e inclinação religiosa.

Estou tentando escrever um artigo que explique em linguagem clara para leigos a filosofia do Eu-Tu de Buber.