25 de set de 2010 | By: @igorpensar

Sobre Quando Nasci

Por Igor Miguel

Deixe-me dar um pequeno testemunho. Aos meus 17 anos fui surpreendido com Cristo, mesmo tendo crescido em um lar relativamente cristão, eu era uma fanfarrão, como já me chamaram por aqui. Eu era como os da minha idade, um jovem perdido e achando que a vida não passava de superficialidade, imediatismo e inconsequência. E pior, já estava parando de pensar no hoje, o que dirá no amanhã.

Por uma articulação misteriosa, por uma ação divina sem proporções, acima de toda lógica, cálculo, ou racionalizações, fui conduzido a perceber uma música tão harmônica e tão feliz, que não seria possível ater-se muito tempo nela, sem cair-se em prantos em um misto de profundo arrependimento e alegria. O mais assustador, é que aquela música sempre esteve ali. Como um código oculto que depois de descriptografado trás uma mensagem capaz de estourar uma outra guerra mundial.

Imagine, eu jovem, aos meus 17 anos, sob o impacto de uma verdade absurdamente real, mas igualmente absurdamente supra-racional, acima de qualquer lógica humana, tentar traduzir o intraduzível para as pessoas.

Na ocasião, como hoje, sentia-me aquecido e tomado pela vontade de apenas anunciar a supremacia, a riqueza, a grandeza e a extensão daquela música misteriosa.

Foi lá, em uma oração, em um montanha em Cabo Frio, que descobri a diferença entre um homem que olha pra cruz e diz: "-- Coitado daquele cara. Que pena, bateram tanto nele..." e o outro homem "-- Quem deveria estar lá era eu, mas foi em meu lugar. Seguirei e viverei tudo que este homem significa".

Pois é, meu caso é o segundo, e surpreenda-se, não quis segui-lo da forma que a maioria dos cristãos fazia em minha época, quis conhecê-lo, quis entender sua língua, sua cultura, seu jeito, seu povo, sua gente, experimentei isto, até quase me perder nesta compreensão e de repente fui emergido, erguido.

Surgi dentre os cacos de minha autonomia religiosa, sob prantos e gritos de alegria, ao descobrir o misterioso amor, intraduzível amor, que um dia me chamou pelo nome e disse: " -- Você é meu."

Soli Deo Glória.

6 comentários:

INSTITUTO ABBA disse...

Ah, Igor! Deus é lindo mesmo! Parabéns!!!! Tudo de bom de coração... Lendo seu texto percebi que fiz um pouco diferente. Me entreguei nas mãos Dele, fazendo o caminho normal dos crentes de minha época. Vivi cada momento cada crise. Mas um dia conheci pessoas que me fizeram ter um interesse mais profundo sobre quem era o meu amado, como ele falava, como era seu povo, sua língua... E aí a revelação foi estupenda.... Entendi..Estou entendendo e conhecendo mais e mais a cada dia... Você faz parte disso, tanto na minha vida como de vários e vários irmãos... Mestre... Você é Dele. Somos Dele. A Ele (Jesus) a honra, a glória e o domínio pelos séculos dos séculos...

Daniella disse...

Que lindo Mano Igor!!! Seguir e viver tudo que este Homem significa é uma honra que transformou a minha vida e deu sentido a ela. Esse misterioso e inexorável amor tem invadido meu ser a 11 anos, mesmo sido chamada por Ele há mais tempo. Jesus é único por nos permitir viver experiências distintas, e por nos edificar com as experiências de nossos irmãos. Que você sempre ouça do Senhor, que é Dele.
E que alguns “anônimos” que têm comentado em seu blog também possam sentir o que é ser, viver e ser transformado por Ele.

Com carinho,
Dani (e Rodrigo).

victor disse...

Poderíamos saber ql é a música?

Ana Cristina. disse...

Parece que de todos os comentaristas até aqui quem teve essa experiência primeiro fui eu... Aos seis anos de idade. Isso não dá pra explicar, só dá pra viver.

Jefferson CEBNA disse...

Essa é uma realidade muito comum ,mas não só de alguns jovens,fazem parte de um movimento,simplesmente um movimento, sem muitas vezes entender bulhufas de do que ouvem...Mas a misericórdia do Pai é como o orvalho,que se renova a cada manhã,e nos da a oportunidade de acordarmos a tempo e abrir os olhos para vermos e sentirmos o seu grande e indescritível amor.Você,eu e tantos outros têm sido despertados a viverem não apenas o que os outros pensam e falam sobre esse Deus,mas temos sido incentivados por Ele a conhecê-lo como Ele quer se revelar a cada um,sem formas ou receitas ditadas por homens,mas simplesmente como o necessário para cada um na sua individualidade.Deus é AMOR!!!
"Grande abraço irmão da igreja!!!rsrs"

Júnior 777 disse...

Olá Igor, te conheci pessoalmente na reunião na casa/escola da Beth (ABBA), esse mês. Sou o amigo do Gabriel, o cara caladão que tava lá só ouvindo mesmo no dia.
Cara, tremendo! Li esse breve testemunho e fiquei edificado ao saber que não sou um caso isolado no mundo. É bem semelhante ao que aconteceu comigo aos 10 anos de idade, nascido num berço cristão, quando decidi me batizar e a partir de então levei Jesus muito a sério. Talvez sério demais para outros adolescentes e jovens na minha época! Também decidi conhecê-lo (claro que a medida do possível) progressivamente e, depois de uns 12 anos, hoje, tenho emergido da religiosidade, do pietismo e das "linhas" teológicas que realmente serviram para embaraçar. Mas graças a Deus tenho visto o remanescente surgindo e espero alcançar o testemunho (do Senhor) de estar no meio dele.
Abração...
Prazer em conhecer...