20 de dez de 2010 | By: @igorpensar

Liturgia: orações diárias

Por Igor Miguel

Liturgia é uma palavra de origem grega que significa "serviço". Cristãos evangélicos temem esta palavra, principalmente aqueles oriundos de comunidades pentecostais e neo-pentecostais, por causa de alguma influência do "protestantismo radical" e dos avivamentos que receberam grande influência de correntes pietistas. Por isso, círculos renovados (carismáticos/pentecostais) preferem um culto espontâneo, com orações livres, sem expressões simbólicas de culto, por causa de uma radicalização da reforma protestante a seu passado católico romano, que se valia de expressões litúrgicas como meios de obtenção de graça e alguns problemas que foram criticados com razão pela reforma protestante.

Não obstante, a crítica reformada não era à liturgia em si, mas ao uso abusivo de "formas litúrgicas" que substituíam em muitos casos a consciência cristã e uma espiritualidade sóbria pela performance mecânica de determinados rituais.

Sempre tive apreço por algumas expressões clássicas de espiritualidade, sempre gostei de me integrar à textos bíblicos e recitá-los como se fossem orações de minha autoria para Deus. E o mais importante, expressões litúrgicas como: orações coletivas, leitura pública das Escrituras, a ceia do Senhor e outros elementos, expressavam uma espiritualidade comunitária, ao invés de um pietismo que explora e concentra a vida do espírito na experiência individual, algo recorrente em nossos dias, principalmente nos círculos cristãos já mencionados.

Por isso, estou a procura de expressões clássicas de espiritualidade, principalmente aquelas que me integram ao Corpo de Cristo e me fazem sentir parte de uma grande comunidade, a Igreja. Hoje, procuro trazer um tempero litúrgico para minhas orações devocionais, principalmente de manhã, e confesso, tem sido muito bom.

Tenho seguido o livro de orações diárias da Igreja da Inglaterra (Common Worship Prayer Book), que é um livro das comunidades protestantes daquele pais. Obviamente, o material não está em português, quem sabe um dia poderemos traduzi-lo. Esse livro de orações encontra-se disponível gratuitamente na Internet. Nele é possível encontrar uma sequência litúrgica em que orações se intercalam com textos bíblicos e orações de personagens cristãos importantes da antiguidade e da modernidade (Agostinho, Calvino, John Wesley, João da Cruz, Tertuliano e outros), além de motivos especiais de oração para cada dia semana.

De qualquer forma, para aqueles que não leem inglês e se interessam por este formato milenar de espiritualidade, abaixo lhes dou uma sugestão liturgicamente estruturada de devocional:

1) Oração do Senhor (O Pai Nosso)

2) Orar um Salmo de Louvor (Sl 113-118), ou
2.1) Orar um texto bíblico ou outros salmos.

3) Meditar na Lei do Senhor

Ler e meditar
(estas são algumas sugestões de textos que podem ser intercalados durante a semana):
  • Os 10 mandamentos.
  • Trechos do Sl 119
  • Trechos do Sermão da Montanha (Mt cap.5-7).
  • Deuteronômio 6:4 e seg. (conhecido conhecido entre os judeus por Shemá)
4) Afirmar o Credo Apostólico (resumo da fé cristã)
--> Sobre o uso protestante do Credo Apostólico veja aqui e aqui.

Creio em Deus Pai, todo-poderoso,
Criador do céu e da terra.
E em Jesus Cristo,
seu único Filho
nosso Senhor.
Que foi concebido pelo poder do Espírito Santo,
nasceu da Virgem Maria,
padeceu sob Pôncio Pilatos,
foi crucificado, morto e sepultado,
desceu à mansão dos mortos,
ressuscitou ao terceiro dia,
subiu aos Céus
está sentado à direita de Deus Pai Todo-Poderoso,
donde há de vir julgar os vivos e mortos.
Creio no Espírito Santo,
na Santa Igreja Universal,
na comunhão dos santos,
na remissão dos pecados,
na ressurreição da carne,
na vida eterna.

5) Oração espontânea.
- Motivos de intercessão:
  • Pela Igreja perseguida;
  • Pelos poderes políticos;
  • Pelos santos e a Igreja no mundo;
  • Pela expansão missionária;
  • Pela salvação dos eleitos do Senhor;
  • Pelas necessidades da comunidade local;
  • E outros motivos.
Obviamente, que esta é uma sugestão básica e flexível para aqueles que querem organizar seu devocional e sua vida de oração. Lembrado-lhes que, práticas como essa devem ser feitas a partir de uma perspectiva de "Docilidade Comunitária", de uma consciência de integração e pertencimento a uma comunidade eleita, composta de mártires, santos, missionários, de todos os tempos e eras na unidade do Espírito Santo. Em algum sentido, quando oramos e confessamos nossa milenar fé em Jesus Cristo, nos integramos aos discípulos de Cristo de todas as eras e lugares, fazemos parte de um Corpo.

Tenho observado, que uma estrutura litúrgica no devocional nos disciplina e cria "ilhas de eternidade"*, de reflexão e contrição em um mundo frenético, que igualmente é palco de nosso engajamento vocacional. Além disso, orações estruturadas desta forma, evitam orações egoístas, privadas e orações que por sua excessiva espontaneidade acabam se tornando vazias de conteúdo e direção. Após este ritmo devocional, mesmo as orações feitas de forma livre, tornam-se mais alinhadas com uma espiritualidade comunitária e menos individualizada.

Para uma reflexão sobre a liturgia vale a pena uma lida no meu texto: Amor, Corpo e Liturgia.

Vamos orar?
___________________________
*Para uma compreensão da ideia de "ilhas de eternidade" e espiritualidade no tempo, vale a pena ler o livro "O Schabbat" de Abraham Joschua Heschel. Uma reflexão filosófica e teológica de um filósofo judeu a respeito dos intercursos da eternidade na história e rotina.

15 comentários:

Tijs e Kelly van den Brink disse...

Oi Igor!
Muito boas as dicas. Confesso que para mim ainda é difícil esse aspecto de ler ou fazer minhas as orações escritas por outras pessoas, mas estou aberta para ouvir mais sobre isso e adquirir uma outra perspectiva!
Obrigada por compartilhar suas experiências!
Abraços

Rodrigo Rosa disse...

Igor, como é bom termos orientações para as coisas de Deus. Lembro de Rm 12:11, na versão Judaica do David Stern, que diz no sentido de não sermos PREGUIÇOSOS quanto ao serviço.

No princípio, sempre pensamos que o serviço é o trabalho comunitário desempenhado na igreja. Mas Deus me incomodou como eu me relaciono com ele no dia-a-dia, o quanto me disponho a oração.

Confesso que ver formas litúrgicas de oração como a exposta no texto me anima, pois percebo que não é a minha criatividade que fará com que Deus ouça minhas orações. A criatividade sim deve ser exercida até na oração, mas sabendo que ela é um FRUTO (consequência) de uma espiritualidade desenvolvida e não uma capacidade humana.

Vendo vc falar das orações públicas me lembro do tempo de criança que todo culto eram recitadas orações públicas com todos lendo a litugira do hinário.

Quanto à oração individual tenho uma dúvida. Sei que Deus sabe de nossas dificuldades e aflições. Mas seria correto manter dia-a-dia uma súplica a respeito de nossos problemas?

@igorpensar disse...

Olá Tijs e Kelly,

É diferente mesmo, principalmente para nós que fomos criados em espaços em que está prática foi perdida. Por outro lado, temos que pensar que as músicas que cantamos na Igreja, são "orações" escritas por outras pessoas, a diferença é que são cantadas. Os Salmos também cumprem o mesmo propósito. São palavras escritas por outras pessoas. Neste sentido, a diferença seria basicamente que uma é "falada" a outra "cantada". Não é mesmo?

Saudações em Jesus!

@igorpensar disse...

Rodrigo,

Legal você ter citado imagens da infância. Essa é a pegada! Dramatizações litúrgicas possuem um poder pedagógico impressionante. Eles atingem a memória e carregamos práticas e expressões de fé pelo resto da vida.

Quanto as orações por problemas, honestamente, hoje coloco no final de minha lista de orações. Mesmo assim, dirijo minhas orações com foco em "buscar primeiro o Reino e a justiça", Deus cuida de mim e sabe minhas necessidades. Não estou desamparado. Por outro lado, ele tem interesse em minha existência em minha dignidade humana. Porém, temo que muito do que achamos que é uma "necessidade", não é, pode ser fruto de uma outra "liturgia" aquela oriunda dos Templos do Consumo, não é verdade?

Mas, está lá no "Pai Nosso", o pedido do pão, que Deus possa suprir nossas reais necessidades diárias.

Abração!

Rodrigo Rosa disse...

Bacana Igor.

Tenho sentido incomodado em mudar minha forma de orar. Foco mais em Deus e menos em mim. O foco pessoal se torna um idolatria muito fácil. Já que mencionou, cito o texto que tem me acompanhado e tenho procurado viver mais a cada dia. (desculpe o tamanho mas esse texto tira a cegueira dos olhos).

Mateus 6:25-33
"Por isso vos digo: Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir.

Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário?

Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas?

E qual de vós poderá, com todos os seus cuidados, acrescentar um côvado à sua estatura?

E, quanto ao vestuário, por que andais solícitos? Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham nem fiam;

E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles.

Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pouca fé?

Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos?

(Porque todas estas coisas os gentios procuram). De certo vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas;

MAS, BUSCAI PRIMEIRO O REINO DE DEUS, E A SUA JUSTIÇA, E TODAS ESTAS COISAS VOS SERÃO ACRESCENTADAS."

@igorpensar disse...

Rodrigo... na lata! Muito bom!

Reflexão Teológica disse...

Oi Igor.

Gostei do texto legal, já vinha pensando sobre isso, principalmente depois de ler o livro Introdução ao Protestantismo brasileiro, Antonio Gouvéia. Acredito que a crise que se instalou na igreja brasileira seja oriundo dessa falta de reflexão nos cultos, pois falta preparo outras, as músicas não se encaixam, falam de individualismo de fundo capitalismo, enfim muito bom refletir sobre isso.

@igorpensar disse...

Olá Cláudio,

Pois é, um pouco de sobriedade histórica ajuda muito nesses momentos. O pessoal precisa considerar que a fé cristã sempre foi acometida por ondas e movimentos teológicos ou heterodoxos que lhe sacudiram as estruturas.

Eu entendo porque fui levado para ambientes liturgicamente carregados, para apreciar a própria herança litúrgica do cristianismo e compreender seus fundamentos.

Tem um livro muito legal sobre os vínculos litúrgicos entre cristianismo e judaísmo que pode nos ajudar neste ponto: Liturgia Judaica de Carmine Di Sante um teólogo católico, o livro foi publicado pela Ed. Paulus, ganhei de presente da Aíla.

Abraços!

Jorge Fernandes Isah disse...

Igor,

excelente texto!

Acredito que é uma forma comunitária e que agrada a Deus mais do que nossas petições individualistas e egoístas [o que não exclui pedidos pessoais; são coisas diferentes], integrando-nos no verdadeiro espírito [e pelo Espírito] do Corpo de Cristo.

Numa época em que a "desordem" tanto no culto como na vida pessoal tem dado cada vez mais lugar à subjetividade inócua em detrimento de uma espiritualidade objetiva [não pragmática], este texto é uma ótima "cartilha" de como glorificar, conhecer e adorar a Deus.

Estarei reproduzindo-a aos meus irmãos no corpo local. E vou reproduzi-la em um dos meus blogs, ok!

Cristo o abençoe!

Grande abraço!

Daniel dliver disse...

Igor, nesse sentido, interessa-me a trajetória de Todd Hunter, cujos livros encomendei:

http://danieldliver.blogspot.com/2010/06/uma-outra-chance-para-igreja.html

http://danieldliver.blogspot.com/2010/02/todd-hunter-o-anglicano-acidental.html

[ ]'s
DANIEL

Daniel dliver disse...

No Brasil temos alguns LOCs:

http://www.dar.org.br/bispo/50-artigos/1677-350-anos-do-livro-de-oracao-comum-adoracao-e-ortodoxia-reflexao-episcopal.html

http://igrejaanglicana.com.br/archives/nossa-identidade-anglicana-na-adoracao-e-servico-do-reino/

http://www.anglicanalivre.org.br/loc.htm

Flávio Sobreiro disse...

Olá Igor!

Em sintonia com seu pensamento sobre a Liturgia e Oração, partilho contigo uma oração utilizada na Liturgia das Horas, muito utilizado pelos monges, embora seja e tenha como finalidade ser uma oração comunitária. O Benedictus é utilizada na Laudes.

Laudes é a primeira oração do dia. É feita de manhã e significa "louvor", de modo que nessa hora é privilegiado o louvor a Deus pelo início de mais um dia e o recomeço do trabalho.

Partilho contigo esta bela e profunda oração.

Benedictus Lc 1,68-79

O Messias e seu precursor

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;
e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,
para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança
e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,
a, ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,
anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados,

pela bondade, e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,
para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados
e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém

@igorpensar disse...

Jorge, obrigado pelos comentários, sempre bem vindos. Como já conversamos, você não precisa de autorização para reproduzir nada que tem por aqui, fique à vontade.

Daniel... valeu pelos links, sempre são bem vindos. Já passei em todos, fica aí a dica. Estou convencido que tenho que comprar o Livro de Oração Comum (LOC).

Flávio, muito, mas muito obrigado por compartilhar conosco tão bela oração. Que coisa maravilhosa, uma oração que conduz aquele que a faz a uma gradação da libertação à consumação da obra redentora do Messias Jesus.

Belíssima!

Abraços a todos.

Leo disse...

Professor poderia me passar mais links, estive uma semana no início deste ano em um mosteiro beneditino, mosteiro da Transfiguração, onde cumpria junto com eles as orações em seus horários, levantava as 4:50 da manhã para começar o dia junto aos monges, e eles tinham um livro de oração escrito pelo próprio Dom Cristiano, muito bom, excelentes orações, mas não tenho acesso as orações puritanas, também vi o Livro de Oração Comum, mas ele apresenta mais orações para a liturgia do culto, do que para orar sozinho propriamente, então se o professor pudesse me apresentar fontes, seria muito bom, podem ser em inglês mesmo, agradeço desde já.

@igorpensar disse...

Olá Leo,

Experiências interessantes. Indico-lhe o projeto "Worship" do Calvin College, olhe aí: http://worship.calvin.edu/site/tasks/daily.html

Neste site há indicações de obras litúrgicas e outros semelhantes.

Abraços!