13 de mai de 2012 | By: @igorpensar

Exegese: Igreja das Nações



O Senhor (YHVH) disse a Abraão: "Eu sou o Deus Todo-Poderoso; frutifica e multiplica-te; uma nação, sim, uma multidão de nações sairá de ti..." (Gn 35:11).

Curiosamente o termo "multidão de nações" aí encontra-se no original como קהל גוים (kehal goyim). Cujo sentido poderia ser "congregação de nações", "congregação de gentios" ou ainda "Igreja de Gentios". Na Septuaginta (LXX) encontra-se συναγωγαι εθνων (synagogai ethnon), o que confirma esta possível tradução de קהל como "igreja". 

Ora, o que me assombra nesta possibilidade exegética, é que Deus promete a Jacó (Israel) que dele procederia uma "comunidade de gentios/nações" antes mesmo de Moisés, antes da Lei. Definitivamente isto concorda com as palavras de Paulo que diz:

"Os quais somos nós, a quem também chamou, não só dentre os judeus, mas também dentre os gentios? Como também diz em Oséias: Chamarei meu povo ao que não era meu povo; E amada à que não era amada. E sucederá que no lugar em que lhes foi dito: Vós não sois meu povo; Aí serão chamados filhos do Deus vivo." (Romanos 9:24-26)

Em Jacó, previa as promessas, a participação das nações no pacto abraâmico, conforme foi dito igualmente pelo apóstolo:

"Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro; Para que a bênção de Abraão chegasse aos gentios por Jesus Cristo, e para que pela fé nós recebamos a promessa do Espírito." (Gálatas 3:13-14).

Autor: Igor Miguel


1 comentários:

Leandro Prata disse...

Legal Igor de fato a salvação é universal, para todos quanto derem ouvido, Lingas tribos e nações.