3 de dez de 2012 | By: @igorpensar

Confissão Belga e Trindade

Gosto de relembrar que nossa fé protestante, principalmente aquela de tradição reformada, vem produzindo alinhamentos doutrinários importantes ao longo da história.  Entendo que a confessionalidade, ou seja, comunidades cristãs que se alinham com confissões protestantes clássicas, tem sido um grande recurso para tratar as ameaças da pós-modernidade e a terrível mania que temos de "inventar" ou "reinventar" a fé cristã.  Acho muito interessante como a Confissão Belga, elaborada em 1567, e adotada principalmente pela Igreja Reformada Holandesa, afirma e explica a Trindade.  Achei por bem compartilhar o trecho em questão.  Para acessar a versão completa clique aqui.

ARTIGO 8
A TRINDADE: UM SÓ DEUS, TRÊS PESSOAS
(grifo nosso)

Conforme esta verdade e esta palavra de Deus, cremos em um só Deus [1], que é um único ser, em que há três Pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo [2]. Estas são, realmente e desde a eternidade, distintas conforme os atributos próprios de cada Pessoa.

O Pai é a causa, a origem e o princípio de todas as coisas visíveis e invisíveis [3]. O Filho é o Verbo, a sabedoria e a imagem do Pai [4]. O Espírito Santo, que procede do Pai e do Filho, é a eterna força e o poder [5].

Esta distinção não significa que Deus está dividido em três. Pois a Sagrada Escritura nos ensina que cada um destes três, o Pai e o Filho e o Espírito Santo, tem sua própria existência, distinta por seus atributos, de tal maneira, porém, que estas três pessoas são um só Deus. É claro, então, que o Pai não é o Filho e que o Filho não é o Pai; que, também, o Espírito Santo não é o Pai ou o Filho.

Entretanto, estas Pessoas, assim distintas, não são divididas nem confundidas entre si. Porque somente o Filho se tornou homem, não o Pai ou o Espírito Santo. O Pai jamais existiu sem seu Filho [6] e sem seu Espírito Santo, pois todos os três têm igual eternidade, no mesmo ser. Não há primeiro nem último, pois todos os três são um só em verdade, em poder, em bondade e em misericórdia.

1 1Co 8:4-6. 2 Mc 3:16,17; Mt 28:19. 3 Ef 3:14,15. 4 Pv 8:22-31; Jo 1:14; Jo 5:17-26; 1Co 1:24; Cl 1:15-20; Hb 1:3; Ap 19:13. 5 Jo 15:26. 6 Mq 5:1; Jo 1:1,2.

3 comentários:

Lucas Isaac disse...

existe uma passagem no antigo testamento fala referencia Espirito Santos como o proprio D-us, Espirito Santos é a essencia de D-us, assim como D-us apareceu em forma de fogo,em Joel fala muito bem a respeito disso. as pessoas que tem mania de transforma tudo em deuses.

@igorpensar disse...

Filho, olhe a frase que você escreveu. Tudo bem, cometemos erros de ortografia, digitação, e provavelmente o farei aqui. Mas, um argumento teológico deve ser minimamente bem escrito. Simplesmente não sei o que você escreveu. Faz um esforcinho aí. Talvez a forma confusa com que você escreveu aí, reflita a mesma confusão que deve estar em sua caixola. Frases sem métrica, coesão e plausibilidade.

Flaviano Filho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.