8 de mar de 2014 | By: @igorpensar

Casa

Casa

Dentro, abraçado e ritos.
Familiar. Cada objeto, cada ser.
Estar, não é a sala, está nela.
Sorriso, suave, muito suave.
Bela e sutil, não enjoa.
Cheiro de bolo de fubá.
Café em caneco xadrez.
Livros que seduzem, convidam.
Desprezo-os, deixo-me seduzir.
Um cheiro levemente doce no cangote.
Em cada quina aroma, calor e luz de abajur.
Chuveiro quente e um livro.
Sala de estar, sala de ser. 

Casa.

1 comentários:

Andrias Silva disse...

Com algumas leves alterações, me senti em casa.