6 de abr de 2016 | By: @igorpensar

Amargo Cristianismo

Por que escolhi o caminho do cristianismo? Apesar de que a pergunta já tem um problema em si, pois, penso que o cristianismo, ou ainda melhor, Cristo é quem nos escolheu.  Não há explicações proposicionais, Cristo convoca e chama. Cristo é magnético e irrefutável. Cristo e o cristianismo ensinam de maneira descarada e sem pudor que não somos confiáveis. Respeitosamente acho difícil que alguma filosofia ou outra expressão religiosa seja mais explícita em relação ao orgulho humano e nossa fragilidade moral do que o cristianismo.


Desconfio de qualquer visão de mundo que alegue que sou "bacana" ou que tenho recursos "inatos" para me tornar melhor. Qualquer pessoa minimamente experimentada em suas próprias fragilidades morais sabe do que estou "falando". Eu duvido que uma pessoa, por simples vontade e disposição moral, acorde uma manhã qualquer e consiga observar de maneira irrestrita todo o Sermão do Monte e viva os termos que estão ali de maneira irrepreensível. O que está no Sermão do Monte não é uma tabela de regras morais é um currículo de um longo programa de discipulado que exige constante reconhecimento de nossa fragilidade (pobreza de espírito) e dependência da graça de Deus.

Eu precisava de uma resposta honesta quanto ao orgulho e a altivez, estes dois demônios que ficam sempre à espreita prontos para assaltar qualquer transeunte que perambula distraído pelos caminhos da vida. Uma vez me disseram: "Igor, você vive dizendo que tem problemas com orgulho." Eu tive que responder: "E... você não?".

O cristianismo é um remédio amargo, pouco conveniente, não é um religião que está disposta a retroalimentar seu ego, sua autoestima, ou trazer algum tipo de alívio moral. O cristianismo é letal justamente por ser libertador. O cristianismo contradiz de maneira radical nossas narrativas previsíveis de sucesso e felicidade. Pense bem, nosso maior emblema é um homem aparentemente derrotado e humilhado em uma cruz. Que absurdo! Que escândalo! A mensagem de triunfo é esta: "quem perder a sua vida ganha-la-á."

Por isso sou cristão: pois o cristianismo diz tudo que eu não gostaria de ouvir, me convida a crer em quem eu jamais creria e me ensina a viver de uma maneira que eu jamais viveria. Cristianismo é morte, por isso, é ressurreição.  Não seria exagero dizer, que no final, Cristo está nos salvando de nós mesmos.

0 comentários: