27 de out de 2009 | By: @igorpensar

Ubuntu 9.04 experiência e 9.10 expectativas

Por Igor Miguel

Pois é, falta 1 dia (pelo menos enquanto este post está sendo escrito) para o lançamento da próxima versão do Ubuntu batizada com o nome de Karmic Koala, a versão 9.10 (outubro de 2009) da referida distribuição GNU/LINUX. Para quem não conhece o mundo Linux e dos sistemas operacionais livres, vou darei um relato de minha experiência com o OS (operational system).

A maioria dos iniciantes e usuários antigos de microcomputadores preferem o sistema operacional produzido pela Micro$oft denominado "Window$". O sistema operacional é uma interface, um mediador, entre os verdadeiros processos que ocorrem no computador e o usuário. Antigamente, por exemplo, se você desejasse criar um "diretório" (uma pasta) você deveria digitar um comando (nem sempre simples) para realizar tal efeito no computador. A idéia de um sistema operacional de "janelas" (windows) veio para facilitar e criar um ambiente gráfico, amigável, fácil e intuitivo. A moda pegou, o Windows ganhou espaço e Bill Gates ficou multimilionário. Vale lembrar que a ideia de um sistema operacional interfaceado graficamente por ícones e janelas fora criado pela Xerox e depois ROUBADA por Bill, basta assistir ao filme "Piratas do Vale do Cilício".

Pois bem, paralelamente ao universo Microsoft, houve um esforço de vários programadores voluntários ao redor do mundo de contribuir com um sistema operacional que não tivesse um código criptografado (como é o caso da Microsoft), mas que fosse aberto (open source) para que outras pessoas pudessem contribuir e desenvolvê-lo. Um destes sistemas operacionais é o Linux. Para os que querem saber mais detalhes basta "googlear". Mas, em termos bem objetivos o Linux é um sistema operacional livre, gratuíto, seguro, leve e inteligente.

O universo Linux é muito vasto, existem várias distribuições do referido sistema operacional. Cada distribuição adota uma "interface gráfica visual" específica, com aparência e versatilidade específicas. Os mais conhecidos são KDE, Gnome e Xfce.

Eu comecei no mundo Linux usando a antiga distribuição brasileira denominada Kurumim, que funcionava com a interface KDE, muito parecido com o Windows em algumas funções. Porém, por causa do incentivo de uma grande amigo André Tavares entrei de cabeça no universo livre através da distribuição Ubuntu.

O Ubuntu é uma distribuição Linux maravilhosa. Leve, rende o hardware, não precisa de antivírus, e não me deixa na mão em nada em relação ao Windows naquelas funções: editor de texto, internet, porta usb, wi-fi, editores de imagem, mídia (players mp3, wmv, etc.) e outras funções básicas.

Faço tudo com meu Ubuntu, projeto vídeos em power point nas minhas aulas, digito meus artigos, faço desenhos, administro meu blog, uso o BibleWorks (for windows emulado em Wine), escuto minhas músicas, administro minhas planilhas, etc. Faço absolutamente tudo e até mais do que faria com o Windows.

Segundo li hoje no site Ubuntu a nova versão terá muitas vantagens, inclusive a mais importante para mim: inicialização rápida. Apesar do Ubuntu já ter uma boot muito rápido se comparado ao Windows, uma melhoria na performance de inicialização nunca é de mais, com certeza.

Mas, a coisa que acho mais formidável em uma distribuição Linux é o formato de particionamento adotado pela distribuição, que ao invés de NTFS ou FAT32, usa EXT, que é um formato de particionamento inteligente que não fragmenta os arquivos no HD, o que significa nunca ter perda de rendimento e velocidade com o tempo, pois os arquivos não estão fragmentados e nunca precisa usar programas como o "defrag" do Windows.

O Windows é sempre assim, uma delícia após formatação e instalação, e depois de um ou dois meses, um inferno. Meu Ubuntu tem o mesmo desempenho (ou se não melhor) há mais de 1 ano, nunca caiu o rendimento, nunca fica naquela lentidão do Windows, que independente do poder da máquina, sempre cai o rendimento a longo prazo.

Vocês não sabem como é bom ter um sistema operacional que sempre é rápido, quase independente do processador (hi hi hi). Fica aí o estímulo, o universo livre é muito mais fácil do que você pode imaginar.

3 comentários:

André Tavares disse...

Igor, muito legal. Coisas boas precisam de bons testemunhos. Você pode falar alguma coisa sobre Software Livre e educação? Eu nunca usei o Edubuntu, por exemplo, mas tem gente com boas experiências... Abraço.

Orion_X11 disse...

Oi Igor, Tudo bem? Sou pastor - estudei Grego Clássico e Hebraico na Universidade de Sheffield - UK - e tb uso Ubuntu no meu Note e Debian (meu preferiro - pai do Ubuntu) no meu PC. Tb uso o BibleWorks (8) via Wine. Mas, tem tido problemas para acessar a área de Recursos (Resources) dele, pois sempre trava o programa. Vc consegue usar essa área sem problema? Qual a versão q usa? Obrigado.

@igorpensar disse...

Pastor...

Tentei rodar o BibleWorks 8 no Ubuntu 10.04 via Wine e tem dado muitos travamentos e bugs. A versão 7 ainda é a que roda melhor. Se tiver boas notícias a respeito da versão 8 me deixe informado.

Grato,
Igor