9 de jul de 2010 | By: @igorpensar

Benedito: um poema

Muitos podem falar do dito cujo.
Dele não escutarás nada.
Daqueles que dele falam, ouvirás tudo.
Cujo dito não acredito.

Palavras constroem imagens.
Imagens são palavras.
Palavras mal-ditas,
Imagem maldosa.

Quando a palavra má for dita.
Não verás o bendito da mesma forma.
Só verás o que foi dito.

Maldito o homem de língua perversa.
Pois veste-se do mal, quando verte amargura.

Só há um jeito de lidar com a verdade.
Não vejas pelo que dita dor.
Mas, pelo que vive Benedito*.

_______________________________
*Ben - filho em hebraico. Édito - decreto inquisitorial.

0 comentários: