15 de jul de 2009 | By: @igorpensar

João Calvino e os Judeus

Em memória do grande reformador francês João Calvino e pela comemoração de seus 500 anos, achei por bem traduzir um trecho de um post do blog: Right Turns intitulado "John Calvin and the Jews", façam bom uso!
____________________________
Uma das melhores explicações do que está por trás do filosemitismo de Calvino pode ser encontrado em Azure em um tocante artigo por Armand Laferre, um Huguenote francês, intitulado "The Huguenots, the Jews, and Me":
Esta pequena nação [os judeus], ele [João Calvino] explica, foi escolhido por Deus para manifestar seu amor, não porque os judeus eram menos pecaminosos que os outros povos, mas porque esta foi a eterna, imerecida e inqüestionável decisão de Deus: 'Deus tem atestado isto [predestinação] não apenas em pessoas individuais', ele escreveu, 'mas nos deu um exemplo disto em toda descendência de Abraão...'. Ele também sustentava que: '[aqueles que dizem que a bondade de Deus se estende a todas as criaturas], deixe-os responder porque Deus vinculou-se a um povo, para ser seu pai..'.
Finalmente, enquanto católicos e luteranos argumentavam que a Lei de Moisés era mas um símbolos de uma aliança espiritual de Deus e o homem em Cristo, Calvino insistiu que a lei, que foi dada apenas para os judeus, deveria ser vista como um sinal do amor particular de Deus por Israel.
Texto original. Tradução: Igor Miguel.


3 comentários:

contrasenso disse...

Legal. Os 500 anos de Calvino fazem a gente pensar o quanto o legado do reformador genebrino é assustador. Tanto porque é de grande impacto, quanto por ter ser extremamente humano (sobretudo nos erros que cometeu). Estranho como uma mente que sofria dos mesmos preconceitos de sua época foi capaz de gerar as bases de sociedades que depois foram mais abertas, tolerantes e democráticas, onde os judeus, inclusive, alcançaram melhores condições.

Roberto Vargas Jr. disse...

Caro Igor,
Cheguei aqui por um comentário seu no blog da Norma. Ainda só vi seu blog por alto, já que é tarde e estou por ir para a cama...
Mas, bem, meu comentário nada tem a ver com a Norma ou com o tarde da noite ou com esta postagem em particular (embora eu a tenha escolhido essa por ser reformado). É que você menciona todo tempo o judaísmo. Tenho uma curiosidade tremenda sobre como os judeus pensam... Assim, meu contato é mais por este motivo. É você um judeu cristão? Quem sabe você possa me dar alguma luz sobre o assunto? Ficaria grato por um contato.
No aguardo e no amor do Senhor,
Roberto

Igor Miguel disse...

Roberto,

Meu nome é Igor Miguel, sou membro de uma comunidade que congrega judeus que crêem em Jesus. Sou descendente de judeus, e por ter igualmente fé em Cristo, sinto-me a vontade em uma comunidade onde possa expressar minha fé em uma matriz compatível com minha identidade. Tenho profundo diálogos com crentes reformados, a percepção de mundo reformada é muito próxima dos pressupostos sustentados pela ética hebraica. A percepção escatológica, a visão de salvação, a relação lei e graça e outras coisas são muito interessantes.

Participo ativamente de atividades em L'Abri, tenho profunda admiração por Francis Schaeffer (Edith também), leio teólogos neo-reformados (Dooyeweerd e Kuyper) fora Clouser, McGrath, Plantiga, Piper, etc, etc, etc.

Sou diretor de uma escola que procura diálogos teológicos entre a teologia cristã e judaica, partindo do pressuposto de que a Igreja tem raízes profundas em Jerusalém, matriz teológica que nunca deveria ser esquecida. www.cates.com.br (site da escola).

Sou mestrando em letras no programa de Língua Hebraica e Cultura Judaica da FFLCH - USP. Trabalho com diálogos entre Bíblia e Educação, em específico, trabalho em uma investigação envolvendo "Provérbios de Salomão: Ética, Cognição e Afetividade", pretendo - no futuro - fornecer alguma orientação a educadores cristãos, judeus e a-religiosos, para trabalharem por uma educação de valores. Uma demanda cultural.

Bem é isso... mas, acima de tudo, sirvo ao Deus de nossos pais, obedecendo tudo que está escrito na lei e nos profetas (Paulo em Atos).

Passe sempre por aqui...