22 de jul de 2013 | By: @igorpensar

Nova Evangelização: Católica ou Evangélica?

Sobre a notícia da BBC intitulada: "Papa chega ao Brasil com dupla missão [...] tentar conter o crescimento das denominações evangélicas pentecostais e arrebanhar fiéis afastados da Igreja Católica" https://twitter.com/bbcbrasil/status/359257785252319232 lembro que Bento XVI instituiu o Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização http://www.vatican.va/holy_father/benedict_xvi/apost_letters/documents/hf_ben-xvi_apl_20100921_ubicumque-et-semper_po.html , e o Papa Francisco assumiu pleno compromisso com a iniciativa do pontificado anterior. Lembrando que a tendência já vinha sendo apresentada por homens como George Veigel que escreveu "Letter to a Young Catholic" e a recente obra "Evangelical Catholicism" http://www.amazon.com/Evangelical-Catholicism-Reform-21st-Century-Church/dp/0465027687/ref=wl_it_dp_o_pC_nS_nC?ie=UTF8&colid=1ZPETUQAN5IRO&coliid=IHP6PPSSXTO2U propondo um tipo de reforma interna na Igreja. 

Obviamente ainda um tanto longe dos pontos asseverados pela reforma protestante. Seria uma reforma em algumas ênfases e na promoção de uma evangelização baseada na "conversão pessoal" (ênfase evangelical). Há pontos positivos nisto, olho com atenção para onde as coisas estão caminhando. Mas, acho, que o movimento que chamamos de "novo calvinismo" tem um papel fundamental na garantia e educação destes já alcançados pelo evangelicalismo, que compõem muitos dos chamados "sem religião" nas atuais estatísticas. Ironicamente, o livro "Letters to Young Calvinist" de James K.A. Smith é um prelúdio da "nova evangelização reformada". Se houver uma falha aí, teremos "retorno" ao catolicismo sim, já aviso aos navegantes que estão embebidos em sistemas evangélicos centralizadores, desenraizados e que já trocaram uma fé cristocêntrica, pela teologia da prosperidade ou uma espiritualidade excessivamente afetiva. Então, família reformada, vamos arregaçar as mangas e evangelizar evangélicos e ex-evangélicos.

0 comentários: